Internacional Atentado no Ministério do Interior do Afeganistão deixa ao menos 4 mortos e 25 feridos

Atentado no Ministério do Interior do Afeganistão deixa ao menos 4 mortos e 25 feridos

Explosão de bomba ocorreu em uma mesquita da instituição onde os fiéis estavam realizando as orações do meio-dia

AFP

Resumindo a Notícia

  • Ao menos quatro pessoas morreram e 25 ficaram feridas após atentado em Cabul
  • Ataque a bomba ocorreu dentro de mesquita em prédio do Ministério do Interior
  • Ao chegar ao hospital, os feridos relataram que o ataque foi realizado por um camicaze
  • Nos últimos meses, ataques aumentaram, apesar de membros do Talibã tentarem subestimar
Veículo estacionado na entrada do Ministério do Interior após explosão em mesquita de Cabul

Veículo estacionado na entrada do Ministério do Interior após explosão em mesquita de Cabul

Wakil Kohsar/AFP - 5.10.2022

Ao menos quatro pessoas morreram e 25 ficaram feridas nesta quarta-feira (5), na cidade de Cabul, em um atentado com uso de bomba dentro de uma mesquita em um estabelecimento do Ministério do Interior. O ataque é o segundo em menos de uma semana na capital do Afeganistão.

Desde que o Talibã assumiu o poder, em agosto de 2021, a segurança está entre as principais prioridades do regime, mas nos últimos meses os ataques aumentaram e membros do governo subestimaram esses incidentes.

O porta-voz do Ministério do Interior, Abdul Nafy Takor, disse que a explosão ocorreu em uma mesquita do ministério onde os fiéis estavam realizando as orações do meio-dia.

"Quatro fiéis foram martirizados e outros 25 ficaram feridos", afirmou ele em um comunicado, indicando que uma investigação está em andamento.

Takor havia relatado anteriormente que a explosão "ocorreu à distância do ministério, em uma mesquita onde alguns funcionários e visitantes costumam rezar".

O hospital Emergency de Cabul, que é operado por uma ONG italiana, afirmou ter recebido 20 pacientes, todos homens, e disse que duas pessoas chegaram mortas. Ao chegar à unidade de saúde, os feridos relataram que o ataque foi realizado por um camicaze, disse o diretor de Emergência para o Afeganistão, Dejan Panic, em comunicado.

"Eles afirmaram que viram um homem que explodiu um dispositivo", explicou Panic.

Takor desmentiu, no entanto, que tenha se tratado de um atentado suicida, mas se recusou a dar mais detalhes sobre a explosão.

Aumento dos ataques

A volta ao poder do Talibã marcou o fim de duas décadas de guerra, com redução da violência, mas os ataques se multiplicaram nos últimos meses.

Muitos deles são reivindicados pelo grupo extremista Estado Islâmico, que ataca principalmente comunidades minoritárias como xiitas, sufis e sikhs, mas que também atacou o Talibã.

Na sexta-feira, um ataque suicida em um centro de ensino de Cabul deixou 53 mortos, entre eles pelo menos 46 meninas e mulheres, segundo balanço da missão da ONU no Afeganistão. As estudantes haviam se reunido para fazer uma prova de vestibular.

As autoridades talibãs mantêm um balanço de 25 mortos e 33 feridos. Este ataque, cometido em um bairro que abriga a minoria xiita hazara, não foi reivindicado.

No fim de semana, houve manifestações esporádicas lideradas por mulheres em Cabul e em outros lugares para denunciar esse atentado. Os protestos foram reprimidos pelas forças do Talibã, que dispararam tiros para o alto para dispersar as manifestantes.

Últimas