Atos pró-Maduro acontecem em meio à crise nas fronteiras

Rússia e Bolívia afirmam que a ajuda humanitária tem o intuito de armar opositores ou até mesmo uma intervenção militar disfarçada

Maduro diz que ajuda humanitária é 'presente podre'

Maduro diz que ajuda humanitária é 'presente podre'

Reprodução/Twitter @telesurtv

Enquanto um show mobiliza multidões no lado colombiano da fronteira, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, publicou em sua conta no Twitter imagens de aglomerações de pessoas, que estariam se manifestando em favor do seu governo.

As manifestações pró-Maduro estariam acontecendo nos estados de Amazonas e Zulia. Esses eventos se posicionam contra a entrada da ajuda humanitária enviada pelos Estados Unidos, Brasil e outros países.

Segundo Maduro, a ajuda seria um "presente podre". Rússia e Bolívia afirmam que a ajuda humanitária tem o intuito de armar opositores ou até mesmo uma intervenção militar disfarçada.

A rede TeleSur confirmou as manifestações, destacando que a ministra venezuelana dos direitos indígenas dirige a multidão em Zulia, enquanto o vice-presidente Diosdado Cabello está no estado de Amazonas.

Cabello afirmou que os atos públicos demonstram que a venezuela é um país livre “com um presidente eleito pelo povo”.

Em meio à crise, a Ponte Tienditas, na fronteira da Colômbia e da Venezuela será palco de dois shows. O primeiro organizado pela ajuda humanitária, com a presença de astros internacionais. O segundo, anunciado por Maduro com atrações venezuelanas.