Austrália e Nova Zelândia estudam abrir zona segura de viagens entre si

Governos falam em criar uma 'bolha' entre os dois países da Oceania, que apresentam níveis avançados de controle da pandemia de covid-19

Jacinda e Morrison conversaram por conferência via internet sobre a covid-19

Jacinda e Morrison conversaram por conferência via internet sobre a covid-19

Bianca De Marchi / EFE-EPA - 28.2.2020

Os governos de Austrália e Nova Zelândia dialogaram nesta terça-feira (5) sobre a possibilidade de reativar as viagens entre ambos os países após os avanços no combate à covid-19, embora ainda não haja uma data a curto prazo para o plano.

"Ainda falta tempo. É importante mencioná-lo porque faz parte do caminho de volta. Em algum momento, tanto a Austrália como a Nova Zelândia se conectarão com o resto do mundo novamente. O mais óbvio é que isso comece entre os dois países", declarou o primeiro-ministro australiano, Scott Morrison.

"Embora vejamos que isso vai acontecer (eventualmente), não será na próxima semana", complementou Morrison aos jornalistas em Camberra, após uma reunião do governo que contou com a participação virtual da primeira-ministra neozelandesa, Jacinda Ardern.

Ambos os países fecharam as fronteiras no final de março para impedir a propagação da pandemia. A eventual reabertura das fronteiras não só impulsionará o turismo e as empresas, como também permitirá o reagrupamento familiar entre os povos dos dois países, sem a necessidade de passar por quarentenas de 14 dias por causa da pandemia, comentou Ardern, de Wellington.

Pandemia quase sob controle nos 2 países

"O objetivo das discussões era ter uma espécie de bolha entre nós, uma zona de viagem segura que não requer quarentena", explicou Ardern. A Nova Zelândia não registrou nenhum caso de covid-19 pelo segundo dia consecutivo. Ao todo, 1.137 neozelandeses foram infectados e 20 morreram por causa da doença.

Com um total de 6.825 casos e 95 mortes, a Austrália tem registrado poucos contágios por dia desde 20 de abril e se prepara para anunciar um abrandamento das restrições na próxima sexta-feira.

"Milhares de vidas australianas foram salvas se olharmos para a experiência de como a covid-19 afetou muitos países, mas agora precisamos que um milhão de australianos voltem ao trabalho", disse Morrison, insistindo que a reativação das atividades deve ter ocorrer em uma "economia segura".