Internacional Autópsia em irmão de Kim Jong Un é inconclusiva

Autópsia em irmão de Kim Jong Un é inconclusiva

Pelo menos uma mulher foi presa por suspeita de envolvimento na morte de Kim Jong Nam

Autópsia em irmão de Kim Jong Un é inconclusiva

Causas da morte de Kim Jong Nam não foram esclarecidas pelo exame

Causas da morte de Kim Jong Nam não foram esclarecidas pelo exame

Reuters

A autópsia no corpo de Kim Jong Nam, meio-irmão do líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un, já foi concluída, mas a Polícia da Malásia afirmou que as causas da morte não foram esclarecidas pelo exame.

Autoridades de Pyongyang pediram a imediata repatriação dos restos mortais, mas Kuala Lumpur recusou a solicitação.

De acordo com a rede britânica BBC, Kim Jong Nam esperava um voo para Macau, na China, quando uma mulher cobriu seu rosto com um pano que queimou seus olhos. A morte foi decretada horas depois.

O misterioso assassinato de Kim Jong-nam, meio-irmão e 'rival' do líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un

Coreia do Norte prepara lançamento de mísseis para mandar mensagem aos EUA

A imprensa internacional noticiou que uma mulher foi presa na manhã de terça-feira (15) por suspeita de envolvimento na morte. Ela foi identificada como a vietnamita Doan Thi Huong, de 28 anos.

Segundo a TV Chosun, uma rede de televisão a cabo, ele teria sido envenenado por duas mulheres, que seriam operárias norte-coreanas, no aeroporto de Kuala Lumpur.

O filho mais velho do ditador Kim Jong Il era frequentemente apontado como o sucessor de Kim Jong Un. Ele estava escondido na Malásia desde a execução do seu tio Jang Song Thaek, em 2014.