Avião de Putin poderia ser alvo de míssil ucraniano que acabou derrubando o Boeing da Malásia, diz agência

As duas aeronaves se cruzaram na Polônia e podem ter sido confundidos

Aeronave da companhia Malaysia Airlines caiu na Ucrânia, perto da fronteira com a Rússia, com 295 pessoas a bordo

Aeronave da companhia Malaysia Airlines caiu na Ucrânia, perto da fronteira com a Rússia, com 295 pessoas a bordo

Reprodução/Rede Record

A agência russa de notícias Interfax publicou que o avião do presidente Vladimir Putin poderia ter sido o alvo de um míssil ucraniano que acabou atingindo a aeronave da Malaysia Airlines nesta quinta-feira (17).

Os dois aviões estariam fazendo um caminho semelhante, de acordo com fontes ouvidas pela agência.

"Posso dizer que o avião presidencial e o Boeing de Malaysia Airlines cruzaram o mesmo ponto e o mesmo corredor. Isto ocorreu perto de Varsóvia [na Polônia] a uma altitude de 10.100 m. O avião presidencial estava no local às 16h21 (hora local) e o avião da Malaysia Airlines às 15h44 (hora local)", disse a fonte, que concedeu a entrevista sob condição de anonimato.

— Os contornos das aeronaves, a coloração e as dimensões são muito semelhantes, a uma distância remota são quase idênticas.

Assista ao vídeo que mostra o local da queda do avião da Malaysia Airlines

Premiê da Malásia se diz chocado com informações de que avião foi abatido

A aeronave da companhia Malaysia Airlines caiu na Ucrânia, perto da fronteira com a Rússia, com 295 pessoas a bordo nesta quinta-feira.

O Boeing estava voando de Amsterdã para Kuala Lumpur e a queda aconteceu na região de Donetsk, no leste da Ucrânia, cenário de combates entre forças governamentais e rebeldes pró-Rússia.

Representantes da autoproclamada República Popular de Donetsk negaram que disponham de armamento para derrubar um avião que voe a 10 mil metros de altura.

A agência russa de notícias Interfax declarou que os insurgentes ucranianos encontraram a caixa-preta do avião de passageiros malaio e o presidente dos EUA, Barack Obama, ofereceu ajuda para investigar a queda.

O presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, acredita que um "ato terrorista" foi a causa do acidente, disse seu assessor.

"Poroshenko crê que esse avião foi abatido: não é um incidente, não é uma catástrofe, mas um ato terrorista" disse Svatoslav Tsegolko.

Em março deste ano, uma aeronave da Malaysia Airlines desapareceu com 239 pessoas a bordo. Até hoje, não se sabe o que aconteceu ao voo MH-370 ou aos passageiros.