Internacional Avião que ia de SP para Miami é impedido de sobrevoar Cuba

Avião que ia de SP para Miami é impedido de sobrevoar Cuba

Companhia Aérea não teria autorização para sobrevoar o país e a aeronave precisou reabastecer para poder contornar Cuba e chegar até Miami

Avião foi proibido de sobrevoar Cuba e precisou parar para reabastecer

Avião foi proibido de sobrevoar Cuba e precisou parar para reabastecer

Reprodução

Uma aeronave da Avianca que havia decolado do aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, com destino a Miami na quarta-feira (6), foi impedida de sobrevoar o espaço aéreo de Cuba e precisou fazer um pouso nesta quinta-feira (7), em San Juan, Porto Rico, para reabastecer e prosseguir a viagem, já que a aeronave, um Airbus A330 de prefixo PR-OCX, não teria combustível suficiente para contornar a ilha de Cuba e chegar ao destino final.

Leia mais: Avianca vai apresentar plano de demissão voluntária

O impedimento do sobrevoo, segundo o Instituto de Aeronáutica Civil de Cuba, foi devido a falta da autorização de sobrevoo exigida pelo país para que aeronaves cruzem o céu cubano.  Com o desvio e a parada não prevista, o tempo máximo de trabalho dos tripulantes ultrapassou o máximo permitido e, por isto, os passageiros precisaram ser desembarcados e acomodados em um hotel.

Aplicativo para rastrear voos mostra o desvio feito pela aeronave da Avianca

Aplicativo para rastrear voos mostra o desvio feito pela aeronave da Avianca

Reprodução

O problema acabou resultando em um efeito cascata para a companhia, provocando o atraso no voo da Avianca que retornaria de Miami para São Paulo. "Chegou a hora do voo e fomos informados que o voo teria 2 horas de atraso por que o avião estava abastecendo em Porto Rico, o que nos fez perder mais uma vez o voo São Paulo-BH. Depois de 3 horas esperando tivemos a notícia de que o voo atrasará de 12 a 13 horas", reclamou uma passageira do voo de retorno da companhia nas redes sociais.

Leia mais: Brasil faz 1.977 alertas para prevenir acidentes aéreos

O problema teria acontecido devido a um atraso no pagamento de taxas com a IATA (Associação Internacional de Transportes Aéreos), responsável por providenciar a autorização para sobrevoo no espaço aéreo de Cuba, e, por isto, a autorização para as aeronaves da Avianca estaria suspensa.

A Avianca é considerada a quarta maior companhia aérea do Brasil e passa por um processo de recuperação judicial no país, após registrar prejuízos por vários anos seguidos.  A companhia também trava uma disputa judicial para evitar a reintegração de posse dos aviões que utiliza para operar no Brasil pelas empresas que alugam as aeronaves. Além disto, o Sindicato dos Aeronautas afirma que a empresa está com salários atrasados e acumulando dívidas trabalhistas.

O R7 entrou em contato com a Avianca Brasil, que afirmou por meio de nota que " o voo O6 8512, fez um pouso técnico em San Juan (Porto Rico), às 08h54" e que "está prestando todo suporte e assistência aos seus passageiros, trabalha para reduzir ao máximo o incômodo causado pela ocorrência e para que todos cheguem o mais breve possível no destino". Entretanto, a empresa não comentou os motivos que provocaram esta parada técnica.

Taxa de Sobrevoo

Segundo o Instituto de Aeronáutica Civil de Cuba, as companhias aéreas que fazem voos regulares que precisem passar pelo espaço aéreo do país devem requerer essa autorização por meio da IATA (Associação Internacional de Transportes Aéreos), que reúne praticamente todas as grandes empresas aéreas do mundo e articula tratados internacionais de voo.

Aeronaves particulares ou que vão passar temporariamente pelo país também precisam solicitar autorização e pagar uma taxa diretamente ao país. Essas taxas variam conforme o peso e o porte do avião e são estipuladas por portarias feitas pelo órgão, que é subordinado ao governo Cubano.