Avião ucraniano foi derrubado por míssil russo no Irã, diz revista

Publicação americana Newsweek ouviu oficiais do Pentágono e Inteligência dos EUA que acreditam que queda de avião foi um acidente 

Avião ucraniano foi atingido por um míssil no Irã

Avião ucraniano foi atingido por um míssil no Irã

Nazanin Tabatabaee/WANA (West Asia News Agency) via REUTERS - 8.1.2020

O avião ucraniano que caiu na quarta-feira (8) em Teerã minutos depois da decolagem pode ter sido atingido por acidente por mísseis de fabricação russa disparados pelo Irã, diz a revista americana Newsweek.

Imagens mostram que o Boeing 737 estava em chamas antes de cair no chão e explodir.

A publicação ouviu um oficial do Pentágono, um oficial sênior da inteligência dos Estados Unidos e um oficial de inteligência do Iraque, que disseram que o avião foi derrubado pelo sistema antimísseis do Irã.

Aeronave perdeu contato com torre logo após decolar

A aeronave deixou de transmitir sinal minutos depois da decolagem e não muito tempo depois o Irã disparou mísseis em duas bases dos Estados Unidos no Iraque. As autoridades acreditam que um míssil russo, Tor-M1, conhecido pela OTAN como Gauntlet foi usado na operação.

A informação não foi confirmada oficialmente, mas as fontes militares da revista acreditam que a queda do avião foi um acidente.

O avião tinha 176 passageiros, sendo 82 iranianos, 63 canadenses, 11 ucranianos, 10 suíços, 7 afegãos e 3 alemães, além de 9 membros da tripulação. Todos morreram.

Ucrânia investiga míssil e bomba

A agência de notícias Al Jazeera informa que a Ucrânia, país de origem da empresa Ukranian Airlines, também investiga a possibilidade de a aeronave ter sido abatida por um míssil de fabricação russa.

A agência cita uma fonte de alta patente militar, que diz que os investigadores ucranianos buscariam os destroços de um míssil de cruzeiro Tor M1.

Outra hipótese não descartada pela Ucrânia é a explosão de uma bomba em um ataque terrorista, a colisão com outro objeto voador ou a explosão de um dos motores.