Internacional Banco dos EUA demite funcionários que fraudaram auxílio do governo

Banco dos EUA demite funcionários que fraudaram auxílio do governo

Empregados solicitaram indevidamente recursos de programa federal destinado a socorrer pequenas empresas durante a crise da covid-19

  • Internacional | Da EFE

Mais de 100 empregados foram demitidos

Mais de 100 empregados foram demitidos

Nicky Loh/Reuters

O grupo bancário norte-americano Wells Fargo demitiu mais de 100 funcionários por solicitarem fraudulentamente dinheiro de um programa federal para pequenas empresas durante a pandemia da covid-19, publicou o The Wall Street Journal nesta quinta-feira (15).

O jornal cita uma pessoa com conhecimento de uma investigação interna do banco, que descobriu que 125 de seus funcionários se apresentaram falsamente para solicitar um Empréstimo por Lesões por Desastre Econômico, uma ajuda para pequenos empresários que perderam sua renda devido à pandemia.

"Demitimos essas pessoas e vamos cooperar em tudo com as autoridades", disse o chefe de recursos humanos da Wells Fargo, David Galloreese, em um comunicado interno, observando que essas "ações ilegais" foram em caráter pessoal e não envolveram clientes do banco.

A Wells Fargo demitiu entre 100 e 125 funcionários assim que identificou que eles haviam fraudado fundos federais, indicam a mídia econômica americana, mas as investigações continuam.

Este programa de empréstimo empresarial devido à covid-19 é gerido pela Administração de Pequenas Empresas do Governo dos Estados Unidos, e as instituições financeiras não têm outra função além de supervisionar o depósito nas contas dos beneficiários.

As demissões do Wells Fargo ocorrem duas semanas depois que se soube que outro grande grupo bancário, o JPMorgan Chase, investigava supostas ilegalidades praticadas por funcionários e clientes no acesso a outros fundos do plano de estímulo econômico do governo dos Estados Unidos.

No final de julho, o escritório do inspetor-geral da Administração de Pequenas Empresas declarou ter "sérias preocupações" sobre o programa de empréstimos, tendo recebido cerca de 5.000 reclamações de "supostas fraudes por parte de instituições financeiras recebendo depósitos" do programa.

Últimas