Novo Coronavírus

Internacional Bermudas proíbe voos procedentes de Brasil, África do Sul e Índia

Bermudas proíbe voos procedentes de Brasil, África do Sul e Índia

Arquipélago que pertencente ao território britânico terá restrições até 24 de junho, podendo haver uma flexibilização gradual

  • Internacional | Da EFE

Casos de covid-19 em Bermudas dispararam em abril

Casos de covid-19 em Bermudas dispararam em abril

Pixabay

David Burt, o primeiro-ministro de Bermudas, um arquipélago pertencente ao território britânico, anunciou a manutenção das restrições para combater a propagação do coronavírus durante os próximos dois meses e a proibição da chegada de voos do Brasil, da África do Sul e da Índia.

Em um pronunciamento em cadeia nacional de televisão, Burt declarou que as restrições permanecerão em vigor até 24 de junho, mas deixou aberta a possibilidade de uma possível flexibilização gradual.

"A esperança do governo é que a emergência de saúde pública termine nessa data, pondo fim a 15 meses de um estado de emergência nas Bermudas. No entanto, para que isso aconteça, devemos eliminar a transmissão local desse vírus", destacou o premiê.

Burt esclareceu que escolas, igrejas e academias ainda poderiam reabrir em 9 de maio, embora em uma base muito limitada, desde que a situação evolua positivamente até lá. Atualmente, os restaurantes só podem oferecer serviço de retirada.

Os casos de covid-19 dispararam em abril, com mais de mil infecções nas três primeiras semanas do mês, de um total de 2.335 desde o início da pandemia. Neste mês, também ocorreram 11 das 23 mortes causadas pela doença em Bermudas. Burt testou recentemente positivo para a covid-19, apesar de ter dito que seus familiares não estavam infectados.

O primeiro-ministro frisou que haverá controles fronteiriços mais rigorosos para tentar diminuir a disseminação do vírus e suas variantes. Com isso, os voos do Brasil, da Índia e da África do Sul foram proibidos com efeito imediato.

Ele acrescentou que qualquer pessoa que tenha estado nesses países dentro de 14 dias após a chegada a Bermudas seria colocada em quarentena por duas semanas com uma etiqueta eletrônica como forma de controle.

Por outro lado, o chefe de governo comemorou que a campanha de vacinação contra a Covid-19 vem progredindo e está mais próxima do objetivo de imunidade comunitária, que é considerado atingido quando 70% da população recebeu o imunizante.

Atualmente, no arquipélago, há um toque de recolher das 20h às 6h. Burt afirmou que se as coisas transcorrerem favoravelmente, a partir de 9 de maio haverá um relaxamento nas escolas, instalações recreativas, igrejas, academias e serviço de restaurante ao ar livre, entre outros.

O primeiro-ministro disse ainda que o governo continuará fornecendo apoio financeiro a empresas e pessoas que sejam diretamente afetadas pelas restrições.

Últimas