Coronavírus

Internacional Biden admite temor por variante delta caso vacinação não avance

Biden admite temor por variante delta caso vacinação não avance

Cepa que surgiu na Índia é mais contagiosa e já corresponde por 10% de todos os casos de covid-19 registrados nos EUA

  • Internacional | Da EFE

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden

EFE/Tasos Katopodis/Pool

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, alertou nesta sexta-feira (18) que a variante delta do coronavírus causará "muitos danos" em algumas regiões de seu país se a campanha de vacinação, que desacelerou nas últimas semanas, não avançar logo.

"Não chegaremos a ter que confinar nada, mas em algumas áreas haverá muitos danos", disse Biden em declarações a repórteres na Casa Branca.

Essa variante, identificada pela primeira vez na Índia e considerada a mais contagiosa, já responde por 10% de todos os casos de covid-19 detectados nos EUA, indicou esta semana os Centros de Controle de Doenças dos Estados Unidos (CDC, sigla em inglês).

Embora essa proporção ainda seja pequena, as autoridades sanitárias estão muito preocupadas que a situação no Reino Unido se repita, onde a variante delta já prevalece e atrasou os planos de reabertura daquele país.

"Esta nova variante tornará as pessoas que não foram vacinadas ainda mais vulneráveis do que estavam há um mês", enfatizou Biden.

Ele acrescentou que esta variante é "potencialmente mais mortal" do que outras e "particularmente perigosa para os jovens", algo que o preocupa "seriamente".

Por isso, implorou aos que ainda não o fizeram que "se vacinem totalmente", com duas doses no caso dos imunizantes que assim o exigirem, para que o país possa "celebrar a independência do vírus" o mais rápido possível.

Hoje, Biden comemorou que os Estados Unidos já ultrapassaram 300 milhões de doses administradas da vacina contra a covid-19 em 150 dias, desde que assumiu o poder em 20 de janeiro.

No entanto, a taxa de vacinação diminuiu nas últimas semanas, e é altamente improvável que a meta de Biden de avançar em breve para uma nova normalidade seja alcançada.

O presidente queria que 70% dos adultos do país tivessem recebido pelo menos uma dose até 4 de julho, e essa proporção agora é de 65%, não havendo muito progresso de um dia para o outro, de acordo com o CDC.

"Infelizmente, os casos e as hospitalizações não estão diminuindo em muitas partes dos estados onde as taxas de vacinação são mais baixas, e estão até aumentando em algumas áreas", disse Biden.

Com o objetivo de acelerar a campanha de vacinação, a vice-presidente Kamala Harris também visitou hoje a cidade de Atlanta, na Geórgia, para tentar convencer os mais céticos a darem o passo, especialmente entre a população negra.

"Essas vacinas têm sido desenvolvidas por cientistas há dez anos, e passaram por testes clínicos em muitas, muitas pessoas. Podemos dizer com segurança que são seguras, gratuitas e eficazes", disse Harris, que prometeu aumentar os recursos para que as pessoas tenham "dois ou três empregos" possam ser vacinadas.

Os Estados Unidos foram o país mais afetado pela covid-19 em toda a pandemia, com mais de 601 mil mortes e 33,5 milhões de casos.

Últimas