Coronavírus

Internacional Biden anuncia compra de 200 milhões de doses de vacina

Biden anuncia compra de 200 milhões de doses de vacina

Presidente dos EUA disse que pretende ter doses suficientes para imunizar toda a população do país até julho

  • Internacional | Do R7, com AFP

Biden visitou a sede dos Institutos Nacionais de Saúde (NHI) nesta quinta

Biden visitou a sede dos Institutos Nacionais de Saúde (NHI) nesta quinta

Oliver Contrera / Pool via EFE - EPA - 11.2.2021

O presidente dos EUA, Joe Biden, anunciou nesta quinta-feira (11), que seu governo fechou dois acordos para adquirir 200 milhões de doses adicionais de vacinas contra o novo coronavírus.

Leia também: Biden diz que país precisa 'reagir' em relação à China

"Esta tarde, assinamos contratos para comprar 100 milhões de novas doses do laboratório Moderna e outros 100 milhões de vacinas da Pfzire. Agora estamos mais próximos de ter o suficiente para imunizar 300 milhões de norte-americanos até o fim de junho", disse Biden, após visitar a sede dos Institutos Nacionais de Saúde (NHI, na sigla em inglês), perto de Washington.

Desde que assumiu, há três semanas, o governo Biden vinha buscando esses acordos, que aumentam em 50% o estoque de vacinas contra a covid-19 do país. O presidente usou a ocasião para criticar seu antecessor, Donald Trump.

"Enquanto os cientistas faziam seus trabalhos descobrindo vacinas em tempo recorde, o meu antecessor — vou ser bem franco sobre isso — não fez seu trabalho em se preparar para o imenso desafio de vacinar centenas de milhões de pessoas", disse Biden.

A campanha de vacinação dos EUA teve um começo complicado em dezembro, mas desde então melhorou: pelo menos 34,7 milhões de pessoas já receberam pelo menos a primeira dose do imunizante, mais de 10% da população. No total, 46,3 milhões de doses já foram aplicadas e 68,2 milhões foram distribuídos pelo país.

O próximo passo é abrir a vacinação em farmacias e muitas delas já estão aceitando agendamentos. O governo federal também acionou uma lei de emergência para aumentar a produção da vacina e outros insumos no país, abriu grandes centros de vacinação em estádios e começou um programa para levar a imunização a comunidades carentes.

Últimas