Biden critica Trump por não agir sobre acordo Rússia-Talibãs

'Se ele foi informado e nada foi feito sobre isso, isso é abandono de dever', disse o candidato à presidência dos Estados Unidos, Joe Biden

Joe Biden disse que parlamentares de ambos os partidos deveriam "exigir os fatos"

Joe Biden disse que parlamentares de ambos os partidos deveriam "exigir os fatos"

Mike Blake - 04.mar.2020/Reuters

O candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos, Joe Biden, criticou nesta terça-feira (30) o presidente Donald Trump por sua condução da obtenção de informações de Inteligência que dão conta de que a Rússia teria tido iniciativa de pagar tropas do Talibã que matassem tropas norte-americanas no Afeganistão, afirmando que suas ações configuram "abandono de dever". 

Leia mais: Trump foi informado sobre acordo entre russos e talibãs em fevereiro

A Casa Branca disse que Trump não recebeu um relatório pessoal sobre o suposto programa russo. Mas o governo ainda não esclareceu se Trump recebeu a informação por escrito, se o presidente teria lido o documento, e porque ele não havia respondido de maneira mais agressiva caso tivesse lido. 

Biden, ao responder a perguntas de jornalistas, disse que parlamentares de ambos os partidos deveriam "exigir os fatos" sobre as acusações. O ex-vice-presidente acrescentou que estava considerando pedir um relatório confidencial de Inteligência sobre o assunto.

"A ideia de que, de alguma maneira, ele não sabia ou não está sendo informado, é um abandono de dever, se for o caso... Se ele foi informado e nada foi feito sobre isso, isso é abandono de dever", disse Biden, acrescentando que o povo norte-americano deveria "concluir que esse homem não é adequado para o cargo de presidente dos Estados Unidos da América". 

A equipe de campanha de Trump não respondeu imediatamente a um pedido por comentários sobre as críticas de Biden.