Internacional Biden destaca oportunidades na luta contra as mudanças climáticas

Biden destaca oportunidades na luta contra as mudanças climáticas

Na abertura do último dia da cúpula, presidente dos EUA fala sobre as possibilidades de novos negócios e tecnologias

Da Casa Branca, Biden participa da cúpula climática nesta sexta

Da Casa Branca, Biden participa da cúpula climática nesta sexta

Tom Brenner / Reuters - 23.4.2021

Um dia após anunciar uma ambiciosa ampliação das metas de diminuição de emissões de gás carbônico, o presidente dos EUA, Joe Biden discursou na abertura da cúpula climática nesta sexta-feira (23) falando sobre as oportunidades econômicas que podem ser achadas na luta contra as mudanças climáticas.

Leia também: 'Hora de fazer a coisa certa', diz Greta Thunberg sobre o clima

"A sessão de hoje não é sobre a ameaça causada pelas mudanças climáticas, é sobre as oportunidades que as medidas contra elas podem proporcionar", disse ele, discursando por meio de videoconferência na Casa Branca. O presidente afirmou que ter visto "progresso" no diálogo com líderes mundiais na conferência.

Ele destacou em especial um comentário feito pelo presidente russo Vladimir Putin. "O convite feito ontem para o mundo colaborar e avançar na remoção do dióxido de carbono me empolgou e os EUA esperam trabalhar com a Rússia e outros países nessa missão, ela é muito promissora", afirmou.

Biden também destacou parcerias com outros países, como Índia, Suécia, Emirados Árabes e o Reino Unido, nas metas de redução de carbono de setores importantes.

Ele disse que pediu à secretária de Energia do país, Jennifer Granhol, para "acelerar o desenvolvimento tecnológico para enfrentar a crise climática".

"Sozinha, nenhuma tecnologia vai ser a resposta, porque cada setor precisa de inovação neste momento, mas esse esforço vai ajudar a impulsionar mudanças aqui e em todo o mundo", destacou.

Oportunidades

Na quinta-feira, o presidente norte-americano havia afirmado que a meta para os EUA é diminuir a emissão de gases causadores do efeito estufa de 50 a 52% até 2030, na comparação com as emissões de 2005. Esse objetivo faz parte do acordo de Paris, ao qual o país voltou quando Biden assuimiu o cargo, mas ainda não há um plano detalhado sobre como ele será atingido.

No segundo dia da cúpula, Biden e seu governo têm ressaltado e repetido que combater as mudanças climáticas vai tornar tanto a economia dos EUA quanto a economia globam mais competitivas.

A assessora da Casa Branca para o clima, Gina McCarthy, disse que o presidente acredita que "enfrentar a crise climática apresenta valiosas oportunidades econômicas e, de fato, pode ajudar a criar muitos empregos".

Últimas