Internacional Biden diz que não se arrepende de retirar tropas do Afeganistão

Biden diz que não se arrepende de retirar tropas do Afeganistão

Presidente norte-americano defendeu decisão, mesmo diante do avanço dos talibãs que já dominaram 8 capitais provinciais

Agência EFE
Presidente dos EUA defendeu decisão de retirar as tropas do Afeganistão

Presidente dos EUA defendeu decisão de retirar as tropas do Afeganistão

Oliver Contreras / Pool via EFE - EPA - 10.8.2021

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, declarou nesta terça-feira (10) que não se arrepende de ter ordenado a retirada das tropas do Afeganistão apesar do avanço dos talibãs no país, e ressaltou que os líderes afegãos devem "unir esforços" para enfrentar tal situação.

Leia também: Talibã controla 65% do Afeganistão após capturar capitais provinciais

"Não me arrependo da minha decisão", comentou Biden em declarações à imprensa. O mandatário frisou que está mantido o plano de concluir a retirada das tropas até o final de agosto.

Depois de ressaltar que os EUA gastaram mais de um US$ 1 trilhão em 20 anos e que "milhares" de americanos perderam a vida ou ficaram feridos no conflito, Biden insistiu que a missão dos EUA treinou e equipou os 300 mil efetivos afegãos com recursos modernos.

Biden voltou a dizer que o governo e o Exército afegãos devem "se unir", superar as divisões políticas e "lutar por si e pelo país".

"Têm de querer lutar", insistiu o presidente dos EUA, ao enfatizar que as tropas afegãs superam os talibãs em número e em recursos.

Na mesma linha, expressou confiança no novo ministro da Defesa afegão, Bismillah Khan, o qual definiu como um "combatente sério", e acrescentou que manterá os compromissos com o Afeganistão e continuará a fornecer apoio aéreo, mas insistiu na necessidade de o governo afegão se encarregar da situação.

Os talibãs tomaram nesta terça-feira o controle de Pol-e Khomri, a capital da província de Baghlan, no norte do Afeganistão, após dias de luta contra as forças de segurança. Esta é a segunda capital regional a ser dominada pelos insurgentes neste dia e a oitava em menos de uma semana.

Últimas