Novo Coronavírus

Internacional Bill Gates se diz surpreso com conspirações 'loucas' na pandemia

Bill Gates se diz surpreso com conspirações 'loucas' na pandemia

Fundador da Microsoft acredita que teorias ganharam espaço por causa da ascensão das redes sociais

Reuters - Tecnologia
Fundador da Microsoft, Bill Gates

Fundador da Microsoft, Bill Gates

Denis Balibouse/Reuters

Fundador da Microsoft que se transformou em filantropo, Bill Gates diz que ficou surpreso com o volume de teorias conspiratórias "loucas" e "más" a seu respeito se disseminando nas redes sociais durante a pandemia de covid-19, mas disse nesta quarta-feira (27) que gostaria de explorar o que está por trás delas.

Em uma entrevista à Reuters, Gates disse que as milhões de publicações e "teorias conspiratórias loucas" sobre ele e o principal infectologista norte-americano, Anthony Fauci, provavelmente ganharam espaço em parte por causa da combinação de uma pandemia viral assustadora e da ascensão das redes sociais.

"Ninguém teria previsto que eu e o doutor Fauci seríamos tão proeminentes nestas teorias realmente maléficas", disse Gates.

"Estou muito surpreso com isso. Espero que passe."

Gates, bilionário que deixou a presidência da Microsoft em 2014, ofereceu ao menos 1,75 bilhão de dólares à reação global à pandemia de Covid-19 através da Fundação Bill e Melinda Gates – o que inclui apoio a alguns fabricantes de vacinas, diagnósticos e tratamentos em potencial.

Desde que a pandemia começou, um ano atrás, milhões de conspirações se espalharam pela internet, alimentando a desinformação sobre o coronavírus, suas origens e as razões daqueles que trabalham para enfrentá-lo.

Entre elas, há alegações de que Fauci e Gates criaram a pandemia para tentarem controlar as pessoas, de que querem lucrar com a disseminação do vírus e de que desejam usar vacinas para inserir microchips rastreáveis nas pessoas.

"Mas as pessoas realmente acreditam nestas coisas?", questionou Gates.

Gates elogiou Fauci e Francis Collins, chefe do Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos, por serem pessoas "inteligentes" e "maravilhosas" e disse que espera vê-los capazes de trabalhar eficientemente e dizer a verdade no novo governo do presidente, Joe Biden.

Últimas