Eleições EUA 2020

Internacional Bloomberg abandona corrida eleitoral e apoiará Joe Biden

Bloomberg abandona corrida eleitoral e apoiará Joe Biden

O empresário e ex-prefeito de Nova York reconheceu que após os resultados da "Superterça" não existe mais um caminho viável para a indicação

  • Internacional | Da EFE

Bloomberg agradeceu o apoio e voltou a pedir "compromisso" dos eleitores

Bloomberg agradeceu o apoio e voltou a pedir "compromisso" dos eleitores

ERIK S. LESSER/EFE/EPA/02/03/2020

O multimillonário Michael Bloomberg anunciou nesta quarta-feira (04) sua saída da corrida eleitoral, desistindo das primárias do Partido Democrata após os fracos resultados obtidos na "Superterça", e agora apoiará a candidatura do ex-vice-presidente Joe Biden.

Leia mais: Coalizão moderada leva Biden à vencer Superterça e acirrar disputa com Sanders

"Há três meses, entrei na corrida presidencial para derrotar (o presidente) Donald Trump. Hoje, deixo a campanha pela mesma razão, para derrotar Donald Trump. Está claro que meu candidato é meu amigo, e grande americano, Joe Biden", afirmou o empresário em comunicado.

O ex-vice-presidente Biden ganhou as primárias democratas em pelo menos oito estados, enquanto Bernie Sanders levou a melhor em quatro. Bloomberg conseguiu apenas 12 delegados na "Superterça", um dia importante para as primárias democratas, de onde sairá o candidato que enfrentará o republicano Donald Trump em novembro.

O empresário e ex-prefeito de Nova York reconheceu que "depois dos resultados de ontem, as contas dos delegados são virtualmente impossíveis e não existe mais um caminho viável para a indicação".

Em comunicado, Bloomberg destacou "a decência, a honestidade e o compromisso" de Joe Biden com os assuntos mais importantes para os Estados Unidos, entre os quais destacou a saúde, a crise climática, o emprego e o controle das armas.

Bloomberg agradeceu pelo apoio recebido e pediu para que os eleitores continuem "comprometidos" e ativos no processo eleitoral para eleger um democrata que possa derrotar Trump.

Últimas