Internacional Boeing 737 MAX tem falha durante voo e pilotos desviam rota

Boeing 737 MAX tem falha durante voo e pilotos desviam rota

Incidente aconteceu em um trajeto entre o estado norte-americano do Arizona e a cidade canadense de Montreal em 22 de dezembro

  • Internacional | Do R7, com Reuters

Boeing 737-8 MAX da Air Canada tem falha durante voo e pilotos mudam rota

Boeing 737-8 MAX da Air Canada tem falha durante voo e pilotos mudam rota

REUTERS/David Ryder 11.03.2019

Um Boeing 737-8 MAX da Air Canada que voava entre o estado norte-americano do Arizona e Montreal com três tripulantes a bordo sofreu um problema no motor que obrigou a tripulação a desviar a rota da aeronave, afirmou a companhia aérea canadense nesta sexta-feira (25), mas o incidente ocorreu em 22 de dezembro.

Logo após a decolagem, os pilotos receberam uma "indicação do motor" e "decidiram desligar um deles", disse um porta-voz da Air Canada. "A aeronave então foi desviada para Tucson, onde pousou normalmente e lá permanece."

A tripulação recebeu uma indicação de baixa pressão hidráulica da turbina esquerda e declarou emergência antes de desviar o vôo, informou o site de notícias de aviação belga Aviation24.be.

Representantes da Boeing não comentaram o assunto de imediato.

Os Estados Unidos suspenderam a proibição de voos de 20 meses do 737 MAX no mês passado. O avião foi proibido de voar por causa de duas quedas em questão de meses que mataram centenas de pessoas.

Dois acidentes graves

A aeronaves Boeing 737-8 MAX foi impedida de voar em diversas companhias aéreas em março de 2019, pós duas quedas de aeronaves desse modelo que matarem 346 pessoas na Indonésia e na Etiópia.

As quedas teriam sido ocasionadas por uma falha em um sistema que tinha como objetivo impedir que as aeronaves subissem rápido demais e entrassem em stall (perda de sustentação). As investigações apontaram que os pilotos não haviam sido treinados o suficiente para entender como o novo sistema operacional funcionava.

A Comissão de Transportes do Congresso dos Estados Unidos concluiu em seu relatório sobre o caso que os acidentes aéreos com o avião da Boeing "não foram resultado de uma falha única, [...] mas resultado de uma série de suposições técnicas erradas por parte dos engenheiros da Boeing, de falta de transparência da administração da Boeing e também de insuficiente supervisão da Comissão Federal de Aviação [FAA]"

Últimas