Internacional Boris Johnson nega ter mentido sobre festa em pleno confinamento

Boris Johnson nega ter mentido sobre festa em pleno confinamento

Primeiro-ministro foi acusado por seu ex-conselheiro de mentir no Parlamento ao dizer que não sabia da organização do evento

AFP
O primeiro-ministro britânico Boris Johnson visita o Finchley Memorial Hospital, em Londres

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson visita o Finchley Memorial Hospital, em Londres

Ian Vogler/AFP - 18.01.2022

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson reiterou nesta terça-feira (18) que ninguém o avisou de que uma festa que violava as regras anti-Covid seria organizada em Downing Street em maio de 2020, como afirmou seu ex-conselheiro Dominic Cummings.

Depois de garantir não ter tido conhecimento da organização da celebração de 20 de maio de 2020, durante o primeiro confinamento, o chefe de Estado conservador mudou de tom. 

Pediu desculpa aos deputados após a imprensa revelar que ele compareceu ao evento, um dos muitos que teriam sido organizados em Downing Street ao longo dos confinamentos impostos nos últimos dois anos.

Dominic Cummings, o influente cérebro da campanha do Brexit, acusou Boris Johnson, nas redes sociais, de ter mentido no Parlamento ao dizer que achava que aquela festa, da qual participou durante 25 minutos e que foi realizada nos jardins de sua residência oficial, era na verdade uma reunião de trabalho.

Cummings assegurou que ele mesmo e outro funcionário avisaram Boris de que a festa estava sendo organizada. O secretário particular do premiê enviou cem convites para o evento.

"O primeiro-ministro foi avisado sobre esses convites. Ele sabia que era uma festa. Ele mentiu no Parlamento", tuitou Cummings, que não poupa injúrias contra seu ex-chefe desde que renunciou, em novembro de 2020. 

Além disso, em seu blog, acrescentou que Boris Johnson minimizou a importância de suas preocupações e se declarou disposto a "afirmar isso sob juramento" – tanto ele quanto outras testemunhas.

Um porta-voz do chefe de governo negou. "É falso dizer que o primeiro-ministro foi avisado com antecedência sobre esse evento", replicou.

Segundo ele, Johnson "implicitamente" acreditava que se tratava de uma reunião de trabalho. O assessor ressaltou que já está em andamento uma investigação interna a esse respeito, liderada por uma funcionária de alto escalão, Sue Gray. 

O próprio Dominic Cummings esteve no centro das atenções por ter violado as regras anti-Covid na primavera de 2020 (outono no Brasil), ao viajar com a família em pleno confinamento total, algo que era proibido.

Os pedidos de renúncia de Johnson nos últimos dias vêm aumentando. Downing Street também pediu desculpa à rainha Elizabeth 2ª por duas festas que aconteceram em abril de 2021, na véspera do funeral de seu marido, o príncipe Philip.

Últimas