Estados Unidos

Internacional Cabul amanhece com lento regresso às atividades cotidianas

Cabul amanhece com lento regresso às atividades cotidianas

Capital do Afeganistão tem aparente calma dois dias após o talibã tomar o poder no país

Agência EFE
População afegã tenta retomar a rotina após o Talibã tomar o poder do país

População afegã tenta retomar a rotina após o Talibã tomar o poder do país

EFE/EPA/STRINGER

A cidade de Cabul iniciou a terça-feira (17) em um clima de calma resignada, com um lento regresso às atividades cotidianas e uma aparente calma da população, sob controle dos talibãs, depois de uma rápida tomada de poder dos insurgentes.

O tráfego de veículos na capital do Afeganistão foi retomado, dois dias depois da fuga do presidente do país, Ashraf Ghani, o que abriu o caminho para que o grupo chegasse à Cabul e passasse a estar no comando de pontos estratégicos do território.

Nesta manhã, em várias ruas da capital, no segundo dia de tomada de poder pelos insurgentes, agentes de trânsito voltaram a ser vistos trabalhando, funcionários de hospitais e outros centros de atendimento reassumiram seus postos.

Diante do temor que os funcionários do governo serem vistos como traidores aos olhos dos talibãs, os líderes políticos do grupo garantiram que todos podem voltar à vida normal e que "foram perdoados".

"A situação em Cabul está sob controle. Foram presas algumas pessoas que estão envolvidas em transgressões", disse o principal porta-voz talibã, Zabiullah Mujahid.

Em mensagem dirigida aos combatentes insurgentes, o comandante talibã Sayyid Mawlawi Muhammad Yaqoub afirmou que não está permitido entrar na casa de qualquer pessoa ou confiscar bens do governo derrubado.

"A receptação de artigos será assunto das autoridades competentes", disse o líder militar, em entrevista, respondendo sobre casos de abordagens a pessoas e residências.

Além disso, os talibãs informaram que está garantida a segurança de missões diplomáticas e humanitárias no Afeganistão, com uma proteção considerada superior a oferecida pelo governo de Ghani.

Hoje, principal emissora de televisão afegã, "Tolo", apresentou uma entrevista conduzida por uma mulher com um membro do grupo insurgente, em que ela recorda da conquista de direitos das mulheres nas últimas décadas.

Os fatos aconteceram entre 1996 e 2001, justamente, depois que o regime talibã promoveu a reclusão feminina.

A apresentadora Beheshta Arghand ainda questionou o insurgente Mawlawi Abdulhaq Hemad sobre a situação de Cabul e sobre as revistas às casas na capital.

Sem governo oficial

Os talibãs, atualmente, controlam a segurança e mantém domínio sobre quase todo o território afegão, mas ainda não formaram oficialmente um governo ou designaram lideranças para responder pelo país.

O ex-presidente Hamid Karzai e o presidente do Conselho Superior para a Reconciliação Nacional, Abdullah Abdullah, informaram que estão em diálogo com um dos líderes do grupo para alcançar a paz e garantir a segurança em todo o país.

Karzai e Abdullah Abdullah, assim como o líder do partido Hizb-e-Islami, Gulbuddin Hekmatyar, fazem parte de um conselho interino formado para ajudar na transição de poder para os talibãs, depois que Ghani deixou o país em sigilo, no domingo.

Últimas