Estados Unidos

Internacional Caças dos EUA sobrevoam Cabul para garantir segurança

Caças dos EUA sobrevoam Cabul para garantir segurança

Segundo porta-voz do Pentágono, uso das aeronaves militares não é uma demonstração de força, mas podem atirar se necessário

Agência EFE
Estrangeiros e afegãos que atuaram junto com outros países estão sendo retirados do Afeganistão

Estrangeiros e afegãos que atuaram junto com outros países estão sendo retirados do Afeganistão

EFE/EPA/ZURAB KURTSIKIDZE

Caças dos Estados Unidos estão sobrevoando Cabul para garantir a segurança no aeroporto da capital do Afeganistão, de onde estão sendo embarcados em aviões militares cidadãos americanos e seus colaboradores afegãos.

O porta-voz do Departamento de Defesa americano, John Kirby, informou nesta quinta-feira (19), em entrevista coletiva no Pentágono, que essas aeronaves não estão voando em baixa altitude e não representam nenhuma demonstração de força.

De acordo com o subdiretor de logística do Estado-Maior dos EUA, general Hank Taylor, os caças F-18, procedentes do grupo de combate do porta-aviões Ronald Reagan, estão realizando estes voos de vigilância para "aumentar a segurança". Taylor destacou que as forças americanas estão "atentas" à operação de retirada das pessoas do país.

"Estamos continuamente realizando avaliações exaustivas para proteger a segurança dos americanos, e utilizaremos todos os instrumentos do nosso arsenal para alcançar este objetivo.

Embora o Pentágono só tenha divulgado nesta quinta-feira o sobrevoo de Cabul por parte de um caça desde que os talibãs apreenderam a capital no domingo, Kirby disse que tais voos de vigilância não são novos e que têm sido feitos há algum tempo.

Perguntado se os caças estão autorizados a disparar se as tropas americanas e aliadas forem atacadas, o porta-voz deu a entender que sim.

"Como sempre, temos o direito de nos defender, ao nosso povo e às nossas operações", respondeu.

Taylor afirmou que desde a sua última entrevista coletiva não houve "incidentes de segurança, nenhuma interferência" por parte dos talibãs nas retiras das pessoas.

"Ainda assim, continuamos a reconhecer o perigo inerente de operar neste ambiente", acrescentou o general.

Kirby frisou que os EUA deixaram muito claro aos insurgentes que qualquer ataque a americanos ou às suas operações no aeroporto "será respondido com força", mas insistiu que não ocorreram "interações hostis" com os talibãs neste aspecto.

Contudo, admitiu que há relatos de que os talibãs estão "assediando fisicamente" alguns afegãos que tentam chegar ao aeroporto.

Últimas