Internacional Caças interceptam jatos russos no espaço aéreo do Reino Unido

Caças interceptam jatos russos no espaço aéreo do Reino Unido

O caso agrava a crise de relacionamento entre Reino Unido e Rússia após o envenenamento do ex-expião russo Sergei Skripal

Caças russos já foram interceptados por pelo menos 80 vezes em dez anos

Caças russos já foram interceptados por pelo menos 80 vezes em dez anos

Reprodução/SkyNews

Caças britânicos interceptaram nesta quarta-feira (31) um número não revelado de aeronaves militares russas que voavam muito próximo ao limite do espaço aéreo do Reino Unido sem solicitar autorização, informou o site da rede inglesa de televisão SkyNews.

O Ministério da Defesa do Reino Unido confirmou que caças Typhoon foram lançados em resposta ao incidente. O episódio é mais um caso que agrava ainda mais o relacionamento entre Reino Unido e Rússia, após o envenenamento do ex-espião russo Sergei Skripal.

Leia mais: Reino Unido: agências confirmam veneno usado contra ex-espião

"Os caças Typhoon foram enviados hoje como uma medida de precaução contra uma possível incursão na área de interesse do Reino Unido por uma ou mais aeronaves não identificadas. Em nenhum momento houve uma ameaça ao espaço aéreo do Reino Unido", disse um porta voz da Royal Air Force, a Força Aérea do Reino Unido.

A Inglaterra monitora rotineiramente os aviões russos que sobrevoam muito próximo do espaço aéreo britânico. No mês passado caças da Royal Air Force já haviam interceptados jatos desconhecidos.

Em julho, o ministro britânico das Forças Armadas, Mark Lancaster, alertou em um discurso que "a Rússia está cada vez mais assertiva" e revelou que a RAF teve que enviar jatos mais de 80 vezes na última década para interceptar aviões militares russos no espaço aéreo inglês.

Também no mês passado, dois caças ingleses foram para a costa de Newcastle, cidade a cerca de 450 km de Londres, para monitorar bombardeiros russos que passavam por uma área do espaço aéreo internacional muito próximo dos limites com o espaço aéreo inglês, também sem pedir autorização.

"Os bombardeiros russos sondando o espaço aéreo do Reino Unido são outro lembrete do sério desafio militar que a Rússia nos coloca hoje. Não hesitaremos em defender continuamente nossos céus de atos de agressão. Mais uma vez, as reações rápidas de nossa RAF demonstraram a vitalidade de nossas forças armadas na proteção da Grã-Bretanha", afirmou na época o secretário do Reino Unido, Gavin Williamson.

    Access log