Casos de covid-19 disparam em dezenas de estados dos EUA

Secretário do governo federal responsável pelos testes chama a atenção para os seguidos aumentos de infecções e diz que "há um surto" no país

Miami adotou um toque de recolher para conter a disseminação do coronavírus

Miami adotou um toque de recolher para conter a disseminação do coronavírus

Cristobal Herrera-Ulashkevich / EFE - EPA - 18.7.2020

Os EUA, país mais atingido do mundo pela pandemia do novo coronavírus, têm batido recordes de novas contaminações e internações por covid-19 nas últimas semanas. A situação fez um funcionário graduado do governo dar um alerta nesta segunda-feira (20). 

Leia também: Trump pede que imprensa dos EUA foque nos casos de Brasil e México

"Não há dúvida de que estamos no meio de um surto agora. Temos mais casos agora do que tínhamos há uma, duas, três, quatro semanas, isso está muito claro", disse o almirante Brett Giroir. Ele é médico e o secretário-assistente da Saúde responsável pelos exames no país.

Segundo ele, a maioria dos novos casos se concentra nos estados do sul do país. Os dados da Universidade Johns Hopkins mostram que os EUA têm quase 3,8 milhões de casos e que, na última semana, 31 dos 50 estados norte-americanos registraram mais casos que na semana anterior.

Perigo de colapso

Em diversas regiões do país, o sistema hospitalar já está perto do colapso por causa do aumento de casos. Los Angeles anunciou seu maior número de pessoas internadas, com 2.216 pessoas nas unidades de saúde.

Para o prefeito da cidade, Eric Garcetti, "as coisas abriram rápido demais e não só pelo que abriu ou fechou, mas como agimos individualmente". Segundo a imprensa norte-americana, ele cogita decretar uma nova quarentena na cidade, assim como os prefeitos de Houston e Atlanta.

"As pessoas estão saindo e se reunindo com outras pessoas que elas conhecem. Podem ser seus parentes, ou amigos. Eles acham que, porque tiveram resultados de testes de duas semanas atrás, está tudo certo. Mas não está", alerta Garcetti.

Na Flórida, o governo estadual afirma que 49 hospitais já não tinham leitos de UTI vazios no domingo (19) e Miami decretou um novo toque de recolher por causa do aumento de casos. O Arizona registrou, na mesma data, seu maior número diário de mortes pela covid-19, 147.

Ainda não há uma política nacional que diga respeito ao uso de máscaras. Muitos governadores republicanos, preocupados com reações que podem vir na eleição de novembro, resistem em tornar obrigatório usar máscaras em público nos seus estados.