Cazaquistão cancela transporte aéreo e terrestre para a China

O país também cancelou eventos esportivos regionais e negou vistos para cidadãos chineses, com o objetivo de impedir a entrada do coronavírus

O governo cazaque disse monitorar de perto a situação epidemiológica

O governo cazaque disse monitorar de perto a situação epidemiológica

VINCENT YU/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O governo do Cazaquistão decidiu nesta quarta-feira  (29) suspender temporariamente o transporte aéreo e terrestre de passageiros com a China, além de cancelar eventos esportivos regionais e negar vistos para cidadãos chineses, com o objetivo de impedir a entrada no país do coronavírus, que já causou 132 mortes.

Em um comunicado, o governo cazaque afirmou que todas as viagens de ônibus entre o Cazaquistão e China, que dividem uma fronteira de 1.460 quilômetros, serão suspensas a partir de hoje.

Já a partir do próximo sábado (1), as rotas ferroviárias entre os dois países também serão canceladas e a partir da próxima segunda-feira todos os voos entre os dois países também serão cancelados.

O governo cazaque disse monitorar de perto a situação epidemiológica, embora até agora nenhum caso de infecção tenha sido detectado no país.

O Cazaquistão também implementou outras medidas para se proteger do vírus 2019-nCoV, rejeitando a proposta da Federação Internacional de Tênis de mudar as partidas da Copa da Federação que ocorrerá entre os dias 4 e 8 de fevereiro na cidade de Dongguang (China) para Nursultan.

Além disso, cancelou as eliminatórias asiáticas de polo aquático que seriam realizadas no Cazaquistão entre os dias 12 e 16 de fevereiro.