Coronavírus

Internacional Centro de doenças dos EUA rebaixa nota de risco de viagens ao Brasil

Centro de doenças dos EUA rebaixa nota de risco de viagens ao Brasil

Agência norte-americana reclassificou o país como “risco alto” para o coronavírus, a terceira pior em uma escala de quatro níveis

  • Internacional | Lucas Ferreira, do R7

CDC não alterou restrições a visitantes brasileiros no país

CDC não alterou restrições a visitantes brasileiros no país

Pixabay

A agência norte-americana CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças, em tradução livre) rebaixou, nesta segunda-feira (13), a nota de risco de viagens ao Brasil por conta do novo coronavírus. Antes classificado como “risco muito alto”, o órgão reduziu a nota do país para “risco alto”.

Com a alteração do CDC, o Brasil desce do quarto nível da escala - o pior - para a terceira posição, na qual também estão países como Austrália, Canadá e Emirados Árabes Unidos. Outras nações latino americanas, como Argentina e Colômbia, continuam listadas como “risco muito alto”.

Ainda que tenha reduzido o nível de risco, o CDC continua recomendando que norte-americanos façam viagens ao Brasil somente em casos de extrema necessidade. O portal da agência reforça também que no país ainda é obrigatório o uso de máscara em locais públicos, ao contrário da maior parte dos EUA que não exigem mais o acessório.

O CDC não alterou as restrições impostas em 2020 aos viajantes brasileiros que chegam aos Estados Unidos.

Em agosto deste ano, o Brasil ultrapassou os EUA na porcentagem de vacinados com a primeira dose dos imunizantes contra o novo coronavírus. Enquanto o país norte-americano vacinou 63,8% da populção, 67,4% dos brasileiros já tomaram ao menos uma dose.

Últimas