Internacional Cerca de 20 mil afegãos que ajudaram EUA pedem realocação

Cerca de 20 mil afegãos que ajudaram EUA pedem realocação

Tradutores que ajudaram tropas norte-americanas desde 2001 querem deixar o Afeganistão antes do fim da retirada militar

AFP
Retirada das tropas dos EUA coloca afegãos que as auxiliaram em perigo

Retirada das tropas dos EUA coloca afegãos que as auxiliaram em perigo

Joel Saget / AFP - Arquivo

Cerca de 20 mil afegãos que ajudaram as tropas americanas, especialmente como intérpretes, pediram para serem realocados pelos Estados Unidos, informou a Casa Branca nesta quinta-feira (15), embora tenha especificado que esse número não inclui as famílias dos requerentes.

Leia também: Avanço dos talibãs no Afeganistão gera preocupação internacional

Esses afegãos e seus familiares, dependendo do andamento dos controles de segurança a que estão submetidos, serão levados para uma base militar nos Estados Unidos, para uma base militar americana no exterior ou para um terceiro país, disse a porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, durante uma coletiva de imprensa.

Washington lançou uma vasta operação para realocar auxiliares dos militares americanos no Afeganistão. Os voos para esse grupo devem começar a partir na última semana de julho, e as tropas americanas deverão ter concluído sua retirada do Afeganistão em 31 de agosto.

A partida programada dos últimos soldados americanos reacendeu as preocupações dos intérpretes e de outros afegãos que os ajudaram, pois temem retaliações do Talibã.

Nos últimos meses, os talibãs tomaram vastas áreas rurais do território afegão, em uma ofensiva paralela à retirada das tropas estrangeiras, que começou no início de maio e deve terminar no final de agosto.

Privadas do apoio dos EUA — especialmente do apoio aéreo — as forças afegãs oferecem pouca resistência e controlam apenas as capitais provinciais e as principais rodovias.

Últimas