Reino Unido

Internacional Chanceleres da Rússia e do Reino Unido trocam farpas após encontro

Chanceleres da Rússia e do Reino Unido trocam farpas após encontro

Britânica desafiou Lavrov ao dizer que o acúmulo de tropas e armamentos na fronteiras com a Ucrânia não ameaça ninguém

Reuters - Internacional
Chanceler do Reino Unido, Liz Truss, e o chancele da Rússia, Sergey Lavrov

Chanceler do Reino Unido, Liz Truss, e o chancele da Rússia, Sergey Lavrov

Ministério das Relações Exteriores da Rússia/Dovulgação via REUTERS

O ministro das Relações Exteriores da Rússia acusou sua colega britânica nesta quinta-feira (10) de arrogância e de se recusar a ouvir, em um encontro tenso que destacou o abismo entre eles sobre a crise na Ucrânia.

"Estou honestamente desapontado que o que temos é uma conversa entre um mudo e um surdo... Nossas explicações mais detalhadas caíram em terreno despreparado", disse Sergei Lavrov em entrevista coletiva conjunta com a britânica Liz Truss.

"Eles dizem que a Rússia está esperando até que o solo congele como uma pedra para que seus tanques possam cruzar facilmente o território ucraniano. Acho que o terreno estava assim hoje com nossos colegas britânicos."

Truss desafiou Lavrov diretamente por sua afirmação de que a Rússia não está ameaçando ninguém com o acúmulo de tropas e armamentos perto das fronteiras com a Ucrânia.

"Não vejo outra razão para ter 100.000 soldados estacionados na fronteira além de ameaçar a Ucrânia. E se a Rússia leva a diplomacia a sério, eles precisam remover essas tropas e desistir das ameaças", disse ela.

A Rússia apresentou ao Ocidente uma série de exigências para garantir a segurança, reclamando que se sente ameaçada pelas repetidas ondas de ampliação da aliança militar ocidental Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e pela recusa da aliança em descartar a adesão de sua vizinha Ucrânia, uma ex-República soviética.

"Ninguém está minando a segurança da Rússia --isso simplesmente não é verdade", disse Truss, acrescentando que era "perfeitamente apropriado" que a Ucrânia se defendesse e buscasse alianças.

Últimas