Internacional Chile decreta lockdown na capital devido ao avanço da pandemia

Chile decreta lockdown na capital devido ao avanço da pandemia

País registrou até o momento 947.783 casos de covid-19 e 22.402 mortes em decorrência da doença

  • Internacional | Da EFE

Chila decreta lockdown a partir do próximo sábado (27)

Chila decreta lockdown a partir do próximo sábado (27)

Alberto Valdés / EFE - 20.6.2020

As autoridades sanitárias do Chile informaram nesta quinta-feira que a partir de sábado (27) será colocada em quarentena toda a Região Metropolitana, que inclui a capital, em meio ao iminente avanço da segunda onda da pandemia de covid-19, que ameaça colapsar os hospitais chilenos.

"Estamos vivendo uma situação preocupante e necessitamos um último esforço", admitiu em entrevista coletiva o ministro da Saúde, Enrique Paris.

A porcentage da população confinada, que até esta quinta-feira era de 74%, aumentará para mais de 80% com o confinamento de mais 31 bairros em todo o país, 14 deles em Santiago, nos quais serão fechados todos os comércios não essenciais e restaurantes.

A segunda onda, que começou em dezembro, com a chegada do verão, se agravou depois de fevereiro devido à maior circulação nas férias. Nos últimos dias, o país registrou recordes de novos casos diários da doença.

Desde o início da pandemia, o Chile registrou 947.783 casos de covid-19 e 22.402 mortes em decorrência da doença. Nas últimas 24 horas, foram reportadas 7 mil novas infecções e 122 óbitos.

A taxa de ocupação de leitos de unidades de terapia intensiva (UTI) chegou a 95%, o nível mais alto até o momento, e várias regiões estão entraram em colapso, segundo um relatório da Universidade do Chile, da Universidade Católica e da Universidade de Concepción.

"Hoje, temos 3.516 leitos. Nos próximos dias, esperamos fazer um esforço adicional e ter 200 leitos adicionais", disse o subsecretário de Redes Assistenciais, Alberto Dougnac.

Nas últimas 24 horas, o país confirmou 122 mortes e 7.023 novos contágios, superando a marca de 7 mil pela segunda vez desde o recorde do sábado passado. Desde o início da pandemia, o Chile totaliza 954.762 casos de covid-19 e 22.524 mortes por complicações da doença.

A taxa nacional de positividade (número de contágios a cada cem testes de PCR realizados) nas últimas 24 horas é de 9,6%.

Novas restrições a viajantes

Em meio ao aumento de contágios e à identificação de novas variantes do coronavírus, as autoridades decretaram que todos os viajantes procedentes do exterior deverão portar um PCR negativo, permanecer cinco dias em um hotel - onde serão submetidos a outro PCR - e passar mais cinco dias em quarentena domiciliar.

Segundo as autoridades, nos últimos dias foram confirmados ao menos cem casos das variantes britânica e brasileira do coronavírus Sars-Cov-2, causador da covid-19.

O agravamento da segunda onda ocorre ao mesmo tempo em que o Chile realiza uma bem-sucedida campanha de vacinação, graças à qual conseguiu aplicar ao menos uma dose em mais de 6 milhões de habitantes (quase 40% da população-alvo).

"A vacina é uma luz de esperança. No entanto, só teremos o efeito de rebanho em junho. Antes disso, temos que continuar tomando cuidado porque temos uma alta circulação viral", insistiu Paris.

Últimas