Novo Coronavírus

Internacional Chile impõe confinamento em bairros mais afetados de Santiago

Chile impõe confinamento em bairros mais afetados de Santiago

Capital chilena concentra mais de 85% dos novos casos de covid-19 e o mais recente aumento da doença preocupa as autoridades do país

Caminhões fazem desinfecção de ruas em bairro de Santiago, no Chile

Caminhões fazem desinfecção de ruas em bairro de Santiago, no Chile

Alberto Valdés / EFE - 6.5.2020

O ministro da Saúde do Chile, Jaime Mañalich, anunciou nesta quarta-feira (6) que vários do bairros de Santiago terão que voltar ao regime de confinamento, diante do preocupante aumento nos números de casos na capital, que concentra 85% das infecções pelo novo coronavírus.

Leia também: Ministro da Saúde do Chile admite preocupação com número de casos

"Temos que olhar para a região metropolitana com muito cuidado. Está se transmitindo a doença até comunas de maior risco, pela concentração de pessoas, poder econômico delas e o tipo de moradias", disse o integrante do governo, em referência às áreas mais pobres da cidade.

"Temos uma situação heterogênea no país e agora temos a batalha por Santiago. Vamos juntos, em um esforço enorme", disse o ministro.

Diferente do que aconteceu em países da região, o Chile evitou declarar um confinamento nacional e paralisar totalmente a economia, enquanto determinava "quarentenas seletivas e estratégicas", com restrições impostas por regiões, cidades ou bairros.

Desde março, as únicas medidas válidas para todo o país, que está em estado de exceção por catástrofe, são o toque de recolher de 22h às 5h, a suspensão de aulas em escolas e universidade, além do fechamento das fronteiras.

Além disso, atualmente, o comércio que não seja essencial está com portas fechadas.

Disparada nos casos

Os novos casos de Covid-19 estavam estabilizados em torno de 500 por dia e as autoridades chegaram a falar em superação do pico de contágio, o que permitiria vislumbrar a retomada da normalidade, mas uma alta significativa foi registrada nos últimos dias.

Em boletim divulgado hoje, são 1.032 infecções a mais em 24 horas, o que eleva o total para 23.048. Além disso, foram registradas seis novas mortes, fazendo a quantidade geral no país subir para 281.

Últimas