Internacional China deve implementar sistema nacional de 'crédito social' até 2020

China deve implementar sistema nacional de 'crédito social' até 2020

Governo chinês pretende criar sistema nacional para ranquear e premiar — ou punir — seus cidadãos por bom ou mau comportamento em até dois anos

crédito social china

Xangai foi a primeira cidade a testar o sistema de 'crédito social' na China

Xangai foi a primeira cidade a testar o sistema de 'crédito social' na China

Wikimedia Commons

Um estado de constante vigilância, em que as pessoas ganham ou perdem 'crédito' junto ao governo e às instituições conforme seu comportamento. É o que está sendo testado na China nos últimos anos e deve ser implementado nacionalmente, afetando seus 1,3 bilhão de habitantes, até 2020.

O Sistema de Crédito Social (SCS) chinês deve entrar em operação em no máximo dois anos, mas pelo menos oito empresas e algumas províncias e governos municipais já instalaram sistemas para ranquear os cidadãos conforme suas atitudes.

Relações de confiança

O SCS foi anunciado em 2014 e, segundo o governo da China, tem como missão estabelecer junto à população que "manter a confiança é glorioso e quebrar a confiança é uma desgraça", de acordo com um documento oficial. Para críticos, no entanto, a política vai facilitar o controle do governo sobre a população.

Quando estiver em funcionamento, pessoas que tenham "bom" crédito social podem receber facilidades como preferência para ser contratadas por grandes empresas ou em altos postos do governo, preferência para pegar bons lugares em cinemas ou teatros, passagens aéreas de primeira classe.

Um crédito social "ruim" pode fazer com que o cidadão não ganhe vagas em boas escolas, receba velocidades menores de internet, tenha acesso restrito a bons restaurantes ou boates, não consiga empréstimos ou seguros ou não consiga nem mesmo permissão para viajar ao exterior.

O que faz o crédito subir ou descer?

Por enquanto, não há um critério unificado sobre o crédito social. Na província de Zhejiang, por exemplo, uma lei aprovada em janeiro deste ano derruba a pontuação de um cidadão que jogar lixo na rua.

Em Xangai, primeira cidade a implementar um sistema local em julho de 2017, pagar impostos com atraso ou preencher um cadastro com informações falsas já afeta a possibilidade de uma pessoa conseguir um empréstimo ou seguro.

De maneira geral, atitudes como fumar em locais proibidos, escrever contra o governo em redes sociais ou até mesmo se relacionar com pessoas que já têm crédito baixo também poderão afetar a pontuação de um cidadão.

Outros hábitos pouco desejáveis incluem jogar videogames demais e fazer compras "fúteis".

Comportamento no trem

Em outubro deste ano, o jornalista britânico James O'Malley publicou em sua conta no Twitter um vídeo gravado em um trem-bala que ia de Pequim a Xangai, alertando sobre atitudes que já podem afetar o crédito social dos passageiros.

"Pessoas que viajarem sem passagem, se comportarem de maneira inapropriada ou fumarem em locais proibidos serão punidas de acordo com a legislação e seu comportamento será registrado em suas informações de crédito individuais. Para evitar um crédito pessoal baixo, por favor, sigam as regulamentações", diz a voz no sistema de som, gravada pelo jornalista.

Em março, autoridades de Xangai revelaram que pelo menos 9 milhões de pessoas foram impedidas de comprar passagens aéreas com base em créditos pessoais 'ruins'.

Outros 3 milhões sofreram punições semelhantes ao tentarem comprar passagens de classe executiva em trens.