China deve impor nova lei de segurança à Hong Kong

Congresso Nacional Popular deve avaliar medidas que servem de resposta a protestos no território autônomo; Trump alerta para reação dos EUA

Protestos contra lei de extradição da China marcaram ano de 2019 em Hong Kong

Protestos contra lei de extradição da China marcaram ano de 2019 em Hong Kong

Leah Millis/Reuters - 2.12.2019

A China irá impor uma nova legislação nacional de segurança sobre Hong Kong em resposta aos distúrbios causados pelos protestos pró-democracia no ano passado, anunciou uma autoridade chinesa na quinta-feira (21).

As ações da China podem levar a novos protestos em Hong Kong, que desfruta de muitas das liberdades não permitidas na China continental, depois das constantes manifestações, algumas violentas, que mergulharam a cidade nas mais profundas turbulências desde que voltou à tutela do governo de Pequim em 1997.

Zhang Yesui, porta-voz do Congresso Nacional Popular da China, disse que os detalhes do projeto de lei seriam apresentados na sexta-feira, quando o parlamento promove sua sessão anual.

"À luz das novas circunstâncias e necessidades, o Congresso Nacional Popular está exercitando seu poder constitucional" para estabelecer um novo quadro legal e mecanismo de aplicação de leis para salvaguardar a segurança nacional em Hong Kong, disse em pronunciamento.

Trump aproveitou para ameaçar China

O anúncio provocou um aviso do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de que Washington reagiria "de maneira muito forte" contra a tentativa de controlar ainda mais a ex-colônia britânica.

Trump, que aumentou sua retórica anti-China enquanto busca a reeleição em novembro, disse a jornalistas que "ninguém sabe ainda" os detalhes do plano da China. "Se acontecer, vamos abordar essa questão de maneira muito forte", disse o presidente sem elaborar.

O Departamento de Estado dos EUA também avisou a China, dizendo que um auto grau de autonomia e respeito para os direitos humanos seriam a chave para preservar o status de território especial na lei norte-americana, e que ajudou Hong Kong a manter sua posição como centro financeiro mundial.