Internacional Cinco presidentes africanos declaram guerra ao Boko Haram

Cinco presidentes africanos declaram guerra ao Boko Haram

Grupo islamita nigeriano foi classificado como grande ameaça para todo o continente

Cinco chefes de Estado africanos adotaram um plano de ação conjunto contra o grupo Boko Haram

Cinco chefes de Estado africanos adotaram um plano de ação conjunto contra o grupo Boko Haram

AP Photo/Francois Mori

Cinco chefes de Estado africanos reunidos neste sábado (17) em Paris por iniciativa do presidente francês, François Hollande, adotaram um plano de ação conjunto contra o grupo islamita nigeriano Boko Haram, classificando-o de grande ameaça para todo o continente.

O plano prevê "a coordenação dos serviços de inteligência, o intercâmbio de informação, a centralização dos meios, a vigilância das fronteiras, uma presença militar ao redor do lago Chade e capacidade de intervenção em caso de perigo", detalhou Hollande ao término da cúpula.

Já o presidente nigeriano, Goodluck Jonathan, declarou que está totalmente decidido a resgatar as jovens sequestradas pelo Boko Haram.

Rapto de meninas deixa escolas vazias e pais divididos entre educação e segurança

Estados Unidos culpam Nigéria por definição tardia do Boko Haram como grupo terrorista

"Estamos totalmente decididos a encontrar estas jovens onde quer que estejam", declarou Jonathan em uma coletiva de imprensa após a conferência.

Mais cedo, Hollande havia convocado os participantes da cúpula a aplicar um plano global contra o grupo islamita.

"O Boko Haram se converteu em uma grande ameaça para o conjunto da África ocidental, e agora da África central", onde "foram demonstrados seus vínculos com grupos terroristas" islamitas, declarou Hollande durante um almoço com seus colegas de Nigéria, Níger, Camarões, Chade e Benin.

Estados Unidos, Grã-Bretanha e União Europeia também haviam sido convidados a esta cúpula, que é realizada no Palácio do Eliseu, sede da presidência francesa.

Este encontro ocorre um mês após o sequestro de mais de 200 estudantes por parte do Boko Haram na Nigéria, um crime que provocou grande comoção em todo o mundo.

Últimas