Novo Coronavírus

Internacional Coalizão militar anuncia cessar-fogo de duas semanas no Iêmen

Coalizão militar anuncia cessar-fogo de duas semanas no Iêmen

Grupo apoiado pela Arábia Saudita vai cessar hostilidades para que o país possa planejar ações contra a pandemia do coronavírus e negociar a paz

  • Internacional | Da EFE

Por conta do conflito, o Iêmen ainda não tem plano contra o coronavírus

Por conta do conflito, o Iêmen ainda não tem plano contra o coronavírus

Yahya Arhab / EFE - EPA 8.4.2020

A coalizão militar liderada pela Arábia Saudita anunciou nesta quarta-feira (8) um cessar-fogo de duas semanas de duração no Iêmen, onde a aliança intervém a favor das forças leais ao presidente Abdo Rabu Mansour Hadi e contra os rebeldes houthis.

O porta-voz da coalizão, Turki al Malki, detalhou que a trégua começará às 12h, sem especificar se o horário se refere à meia-noite ou ao meio-dia, segundo informou a agência de notícias saudita "SPA".

Maldi explicou que esta decisão busca "criar as condições apropriadas" para implementar o apelo feito há alguns dias pelo enviado especial da ONU para o Iêmen, Martin Griffiths, para a cessação das hostilidades em meio à pandemia causada pelo novo coronavírus.

Propostas para cessa-fogo

De acordo com o porta-voz da coalizão, esse ambiente propício abriria a porta para uma reunião entre o governo internacionalmente reconhecido do Iêmen, os houthis e uma "equipe militar" da aliança com Griffiths para "abordar as propostas sobre os passos e mecanismos para implementar um cessar-fogo permanente no Iêmen".

O representante afirmou que o comando da coalizão apoia os pedidos do secretário-geral da ONU, António Guterres, que em 23 de março exigiu um "cessar-fogo global em meio à Covid-19".

O dia 25 de março marcou cinco anos desde o início da intervenção militar no Iêmen a favor do governo de Hadi, que teve de fugir do país e se exilar na Arábia Saudita após os rebeldes xiitas terem tomado grandes áreas no norte e no oeste, e a capital Sana no final de 2014.

Últimas