Novo Coronavírus

Internacional Colômbia autoriza importação da vacina chinesa CoronaVac

Colômbia autoriza importação da vacina chinesa CoronaVac

Vacina é a segunda aprovada pelo país, depois da Pfizer. Governo planeja começar vacinação em massa no fim de fevereiro

Colômbia aprova uso da vacina chinesa CoronaVac

Colômbia aprova uso da vacina chinesa CoronaVac

Silas Laurentino/Photopress/Estadão Conteúdo - 28.01.2021

A Colômbia autorizou nesta quinta-feira (4) a importação de cerca de 2,5 milhões de doses da vacina contra a covid-19 CoronaVac, do laboratório chinês Sinovac Biotech.

Segundo Julio Cesar Aldana, diretor do Instituto Nacional de Vigilância de Alimentos e Medicamentos (Invima), o processo de adquirir os imunizantes foi feito em "tempo recorde" para que possa ser adicionado ao plano nacional de vacinação contra a covid-19.

A vacina da Sinovac é a segunda já autorizada na Colômbia depois da norte-americana Pfizer. O governo local planeja começar em 20 de fevereiro a vacinação em massa para cerca de 35,2 milhões de pessoas.

Em seu programa de televisão, o presidente da Colômbia, Iván Duque, confirmou que a CoronaVac "passou por todas as avaliações dos especialistas".

O ministro da Saúde, Fernando Ruiz, comentou que o país está aberto à "possibilidade" de adquirir dosses da Sputnik V assim que forem divulgados os "estudos de eficácia e segurança".

No total, a Colômbia contabiliza por volta de 2,1 milhões de casos do novo coronavírus e quase 55 mil mortes em decorrência da doença.

Últimas