Colômbia declara 'emergência de saúde' por coronavírus no país

Além do adiamento de eventos públicos com mais de 500 pessoas, também está suspenso o tráfego de navios de cruzeiro no país

Para Iván Duque, medidas devem ser tomadas após classificação de pandemia

Para Iván Duque, medidas devem ser tomadas após classificação de pandemia

Luisa Gonzalez/Reuters - 14.4.2019

O presidente da Colômbia, Iván Duque, declarou nesta quinta-feira (12) "emergência de saúde" no país até 30 de maio, diante da pandemia do coronavírus transmissor da Covid-19 e anunciou o adiamento de todos os eventos públicos com mais de 500 pessoas.

Leia mais: Washington declara emergência de saúde por avanço de coronavírus

Duque disse que a emergência faz parte do plano do governo para conter a Covid-19, que já tem nove casos na Colômbia, e está relacionada à decisão anunciada ontem pela OMS de declarar pandemia do coronavírus.

"Diante da declaração da Organização Mundial da Saúde (OMS) de uma pandemia, devemos estar claros de que medidas adicionais devem ser tomadas", declarou o mandatário.

Duque acrescentou que a "emergência sanitária é declarada a partir de hoje e durará até 30 de maio" e, além do adiamento de eventos públicos com mais de 500 pessoas, inclui a suspensão do tráfego de navios de cruzeiro no país.

Entre esses eventos estão os jogos do Campeonato Colombiano de futebol, cuja nona rodada, marcada para este fim de semana, foi adiada.

"Eles (a Divisão Principal do Futebol Colombiano e a Federação Colombiana de Futebol) decidiram cancelar a data marcada para este fim de semana e também determinaram que o torneio pode continuar a portas fechadas e com transmissão por televisão, a menos que tomemos uma medida adicional que o impeça", afirmou Duque.