Coronavírus

Internacional Com alta de casos na China, Pequim adia grandes eventos

Com alta de casos na China, Pequim adia grandes eventos

País registrou 124 novos casos nas últimas 24 horas, sendo 80 deles resultado de transmissão comunitáris

  • Internacional | Da ANSA Brasil

Pequim tem feito testagem constante com a população

Pequim tem feito testagem constante com a população

Tingshu Wang / Reuters - 6.8.2021

A China registrou 124 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, sendo que 80 deles são de transmissão comunitária, informou a Comissão Sanitária Nacional nesta sexta-feira (6). O número de infecção interna é o mais alto registrado no ano no país.

Leia também: China promete fornecer 2 bilhões de doses de vacinas ao mundo

Por conta disso, a capital chinesa, Pequim, anunciou o adiamento dos grandes eventos marcados para o mês de agosto, como a mostra internacional de filmes e uma grande convenção mundial sobre o 5G. Aqueles marcados para setembro continuam confirmados até segunda ordem.

Apesar de Pequim estar com números baixos de contágios, foram zero contágios em 24 horas após os três confirmados entre quarta e quinta-feira, a medida tem como foco evitar a circulação de pessoas infectadas enquanto os casos estão subindo.

Províncias atingidas

A província mais atingida é Jiangsu, que contabilizou 61 casos de transmissão comunitária, seguida por Hunan, Hubei e Mongólia Interior. Já as infecções importadas, ou seja, que vieram de pessoas que viajaram para outras nações, foram verificadas principalmente em Guangdong, Yunnan e Xangai — essa última ainda tem 58 casos suspeitos em análise.

O novo surto registrado na China começou no dia 20 de julho em Nanquim, mais precisamente, no aeroporto local com a contaminação de nove funcionários. A cidade é a capital da província de Jiangsu, que está sendo duramente afetada.

Desde então, toda a população de Nanquim (cerca de 9,2 milhões de habitantes) foi colocada em lockdown e está sendo realizado um grande teste em massa com todos os habitantes.

A China mantém um controle intenso para conter pequenos focos da pandemia, mesmo com os números em níveis muito baixos. O sistema de rastreamento através de aplicativos continua a funcionar para notificar todas as pessoas que entraram em contato com infectados, bem como as ordens de confinamento são impostas de maneira imediata em locais de surtos.

Desde o início da pandemia no país, no fim de dezembro de 2019, a China registrou 93.498 contaminações e 4.636 mortes.

Últimas