Novo Coronavírus

Internacional Com novo recorde, Flórida tem quase 94 mil casos de coronavírus

Com novo recorde, Flórida tem quase 94 mil casos de coronavírus

Estado bate recorde pelo terceiro dia consecutivo e soma mais de 11 mil infecções nesse período; número de pessoas mortas subiu para 3.144

  • Internacional | Da EFE

Foto tirada em 10 de junho, quando centenas foram à praia de Miami

Foto tirada em 10 de junho, quando centenas foram à praia de Miami

Giorgio Viera/EFE

A Flórida, nos Estados Unidos, supera neste sábado (20), pelo terceiro dia consecutivo, seu registro de casos diários confirmados de covid-19 desde 1º de março, com 4.049 registros. Com isso, o número total subiu para 93.797, destes, 3.144 foram fatais.

O estado somou mais de 11.000 casos nos últimos três dias: 3.207 na quinta-feira, 3.822 na sexta-feira e 4.049 nas últimas 24 horas, de acordo com um comunicado do Departamento de Saúde da Flórida.

A maioria dos casos ocorre n, especialmente na região sudeste, principalmente no condado de Miami-Dade, que registrou 24.607 casos e 874 mortes.

Já em Broward 10.561 casos foram detectados e 370 pessoas morreram. O condado de Palm Beach teve 10.380 pessoas diagnosticadas com covid-19 e outras 468 morreram.

Desde 1º de março, 1.562.280 testes para a covid-19 foram realizados em toda a Flórida - que tem 21 milhões de habitantes. Destes, uma média de 5,7% tiveram resultado positivo. No entanto, nas últimas semanas, o percentual de 5% registrado em meados de maio dobrou para 10%.

Além disso, 12.774 pessoas tiveram que ser hospitalizadas pelo vírus.


Por outro lado, o site de Rebekah Jones, criadora da página oficial da Flórida e demitida, segundo ela, por questionar a falta de transparência na divulgação dos dados sobre a covid-19, contabiliza 97.346 casos e 3.197 mortes causadas pela doença.

Jones, que se baseia em dados oficiais, também calcula que 24.692 pessoas se recuperaram da covid-19. Ela também atualiza o número de leitos disponíveis nas UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) a cada meia hora. A quantidade era de 1.453 até o meio-dia de hoje.

O governador da Flórida, Ron DeSantis, argumenta que o aumento de casos é resultado de mais testes e destaca que, à medida que a pandemia avança, os casos positivos entre os jovens estão subindo "dramaticamente".

Ele explicou que a idade média das pessoas infectadas com o novo coronavírus passou de 60 para 37 anos na semana passada e continuará caindo.

Nesse sentido, o governo lembra que seu foco tem sido a proteção da população acima de 65 anos, a mais vulnerável à doença, e que os recém-diagnosticados têm menos probabilidade de precisar de hospitalização.

No entanto, até hoje, 1.653 pessoas morreram nos centros geriátricos da Flórida, óbitos que incluem residentes e funcionários que cuidam deles. Ou seja, mais da metade das mortes registradas no estado.

Apesar do avanço da pandemia, a Flórida passa por um processo de reabertura. O turismo, que apoia a economia local, busca decolar em meio aos poucos turistas e ao adiamento, até 15 de setembro, da permissão de viagens em cruzeiros a partir de portos nos Estados Unidos.

Com 10,7% menos turistas no primeiro trimestre em comparação com o mesmo período em 2019 e desemprego que atingiu 14,5% em maio, a Flórida está avançando para a segunda fase de reativação da economia com dificuldades para impor as medidas de distanciamento e uso de máscaras.

Últimas