Internacional Começa julgamento de ex-ditador do Sudão por golpe em 1989

Começa julgamento de ex-ditador do Sudão por golpe em 1989

Omar al-Bashir é acusado por tramar junto a integrantes das Forças Armadas a ação que o levou ao poder há mais de três décadas

  • Internacional | Da EFE

Al-Bashir enfrenta 28 acusações na justiça sudanesa

Al-Bashir enfrenta 28 acusações na justiça sudanesa

EFE/EPA/MOHAMMED ABU OBAID

O julgamento do antigo ditador do Sudão, Omar al-Bashir, pelo golpe de Estado que o levou ao poder em 1989, após semanas de adiamentos, foi iniciado nesta terça-feira (6), em Cartum, capital do país, com a leitura das acusações do Ministério Público local.

O procurador geral do país, Tag el-Sir el-Hibir, fez a apresentação do caso contra o ex-chefe de governo e garantiu existirem "evidências, documentos, confissões e gravações de vídeos de lideranças civis e militares sobre o planejamento e a implementação do golpe".

A audiência aconteceu em uma instalação da polícia de Cartum, após várias objeções da defesa de Al-Bashir para encontrar um local "adequado e amplo" do antigo ditador, que responde por 28 acusações no julgamento iniciado hoje.

O antigo presidente, que foi deposto e detido em abril do ano passado esteve presente no julgamento e ouviu toda a apresentação do procurador-geral, que afirmou que a "Frente Islâmica se infiltrou nas Forças Armadas, colocou fim do sistema democrático e impediu a transição pacífica do poder".

A defesa de Al-Bashir chegou a se retirar do tribunal montado, em sinal de protesto com a argumentação de procurador-geral.

O tribunal, por sua vez, negou diversos pedidos de impugnação apresentados pela defesa, sobre a instância do caso.

Também foi recusada solicitação de afastamento de um dos juízes, por causa da participação nas manifestações contra o ex-ditador.

O processo contra Al-Bashir começou em 21 de julho, com uma série de audiências preliminares para cumprir formalidades de apresentação das acusações.

A defesa insistiu na busca por um lugar amplo para o julgamento, devido a propagação da Covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus.

Últimas