Coronavírus

Internacional Comissão Europeia pede suspensão da proibição de voos do Reino Unido

Comissão Europeia pede suspensão da proibição de voos do Reino Unido

Diversos países tentam barrar o fluxo de pessoas que estiveram contato com uma nova variante do coronavírus causador da covid-19

  • Internacional | Da EFE

Países barram voos vindos do Reino Unido após descoberta de nova cepa do vírus

Países barram voos vindos do Reino Unido após descoberta de nova cepa do vírus

Mauricio Dueñas Castañeda/EFE

A Comissão Europeia (CE) recomendou nesta terça-feira (22) que as proibições de viagens de entrada e saída do Reino Unido sejam suspensas, para "facilitar o trânsito de passageiros, garantir viagens essenciais e evitar interrupções na cadeia de abastecimento".

"As viagens essenciais e o trânsito de passageiros devem ser facilitadas. As proibições de voos e trens devem ser suspensas, dada a necessidade de garantir viagens essenciais e evitar interrupções na cadeia de abastecimento", disse o comunicado da CE.

A recomendação de Bruxelas surge após os estados-membros terem solicitado ontem que coordenasse a suspensão das ligações entre a União Europeia (UE) e o Reino Unido, diante da nova variante do coronavírus causador da covid-19 detectada neste país.

Ontem, a maioria dos países da UE manteve suas conexões com as Ilhas Britânicas suspensas ou limitadas, e a França estendeu a proibição ao transporte de mercadorias, impedindo os caminhões de atravessar o Canal da Mancha por balsa, causando distúrbios nas estradas.

Bruxelas lembra que, embora o período de transição do Brexit dure até 31 de dezembro, a liberdade de circulação continua a se aplicar ao Reino Unido, portanto "os cidadãos da UE e britânicos que viajam para o seu país de origem devem ser isentos das restrições", desde que sejam submetidos a um teste PCR ou uma quarentena. A CE estende este pedido aos cidadãos de países terceiros que têm o direito de circular livremente dentro da UE.

No entanto, o executivo da UE insiste que "é importante tomar medidas temporárias rápidas para limitar a propagação da nova cepa do vírus" e "desencorajar" viagens não essenciais.

Já em relação às viagens essenciais, a CE recomenda que os profissionais da saúde sejam obrigados a realizar um teste de PCR ou um teste de antígeno 72 horas antes de sua partida para o novo destino, mas isso os isenta da necessidade de cumprir a quarentena em sua chegada.

Por outro lado, os transportadores - também considerados trabalhadores essenciais - estão isentos por Bruxelas dos testes e da quarentena.

No entanto, a partir de 1º de janeiro, a legislação comunitária deixará de ser aplicada totalmente ao Reino Unido, que será considerado, para todos os efeitos, um país terceiro em relação à União Europeia.

Isto implica - recorda a CE - que as viagens não essenciais do Reino Unido podem ser proibidas durante a pandemia, exceto para cidadãos europeus ou trabalhadores essenciais.

Atualmente, apenas Austrália, Japão, Nova Zelândia, Ruanda, Singapura, Coreia do Sul e Tailândia têm permissão para entrar na UE.

Últimas