Novo Coronavírus

Internacional Confrontos explodem após Sérvia adotar restrições devido à covid-19

Confrontos explodem após Sérvia adotar restrições devido à covid-19

23 pessoas foram detidas em um protesto violento, durante o qual um grupo de manifestantes invadiu brevemente o prédio do Parlamento sérvio

Confrontos ocorreram em Belgrado, capital sérvia

Confrontos ocorreram em Belgrado, capital sérvia

ANDREJ CUKIC/ EFE/ EPA/ 11.05.2020

Cerca de 60 pessoas ficaram feridas - incluindo 43 policiais - nos confrontos entre os agentes e manifestantes que duraram até as primeiras horas da manhã desta quarta-feira no centro de Belgrado, capital da Sérvia, após o anúncio de novas restrições devido à disseminação da covid-19.

O diretor de polícia Vladimir Rebic disse hoje à emissora de TV pública "RTS" que 23 pessoas foram detidas no protesto violento, durante o qual um grupo de manifestantes invadiu brevemente o prédio do Parlamento sérvio.

Segundo Rebic, entre os detidos está o deputado ultra-nacionalista Srdjan Nogo, a quem ele acusou de organizar a entrada forçada no Parlamento.

O presidente sérvio, o conservador Aleksandar Vucic, anunciou ontem que um toque de recolher provavelmente será imposto a partir de sexta-feira até a manhã da próxima segunda, especialmente em Belgrado, mas que pode ser estendido para o resto do país.

De qualquer forma, Vucic disse que essa decisão é de responsabilidade de um grupo de especialistas, mas que o número crescente de infecções está aproximando esse cenário.

Além disso, a partir de hoje, todas as reuniões de mais de cinco pessoas em espaços públicos fechados e também ao ar livre seriam proibidas na capital, uma cidade de cerca de 1,7 milhão de habitantes.

Pouco depois do anúncio das medidas por Vucic, um político criticado pela oposição como autoritário, milhares de pessoas foram às ruas para expressar seu descontentamento.

Os piores tumultos ocorreram no final da noite de ontem (hora local) quando os manifestantes deixaram a esplanada em frente ao Parlamento.

Um grupo de manifestantes conseguiu invadir o prédio do Parlamento, mas foi expulso pela polícia, mobilizada na entrada do prédio, que sofreu danos materiais.

Após repetidas tentativas do grupo de invadir o prédio novamente, os agentes começaram a lançar gás lacrimogêneo para dispersar a multidão, mas ataques de grupos violentos contra a polícia com pedras, garrafas e até explosões ocorreram.

Os manifestantes, em sua maioria não utilizavam máscaras ou mantinham a distância física necessária contra a pandemia, exigiram a renúncia de Vucic e lançaram proclamações nacionalistas como "Kosovo faz parte da Sérvia".

Ontem, a Sérvia registrou 13 mortes por covid-19, o maior número de óbitos em um único dia desde o início da pandemia, em março. Ao todo o país tem 330 vítimas e 16,7 mil casos confirmados.

Últimas