Coreia do Sul diz não haver feridos em incidente com Coreia do Norte

Guardas de postos militarizados na fronteira entre os dois países trocaram tiros. Caso acontece um dia depois do reaparecimento de Kim Jong-un

Incidente aconteceu após reaparição de Kim

Incidente aconteceu após reaparição de Kim

KCNA/via REUTERS - 1.5.2020

O Estado Maior Conjunto da Coreia do Sul informou neste domingo (3) que não houve feridos durante a troca de disparos entre militares do país e da Coreia do Norte, novo episódio de tensão na relação entre os vizinhos, ocorrido um dia após ao anúncio da reaparição do líder norte-coreano Kim Jong-un.

O incidente aconteceu quando um posto de guarda fronteiriça sul-coreano, localizado na zona desmilitarizada, procedentes do lado norte-coreano, atirou. Os militares da Coreia do Sul, então, responderam com disparos de advertência e uma mensagem pelo megafone, conforme divulgou por comunicado o Estado Maior Conjunto.

De acordo com as informações, não houve feridos entre os soldados sul-coreanos, que encontraram marcas de bala na unidade localizada em Cheorwon, na região central da zona desmilitarizada.

Um oficial do Exército da Coreia do Sul afirmou à agência de notícias local Yonhap, que os disparos do vizinho não pareceram uma provocação intencional, mas admitiu que viola os acordos bilaterais de 2018, para colocar fim às hostilidades na península.

Reaparição de Kim

A troca de disparos registrada hoje, inclusive, foi o primeiro caso semelhante deste o início da abertura do diálogo entre as duas Coreias, em processo que teve como principal incentivador o presidente sul-coreano, Moon Jae-in e que está paralisado após a realização de três reuniões de cúpulas.

Além disso, ocorreu um dia depois que Kim Jong-un reapareceu na imprensa oficial do país que lidera, após ausência de 21 dias de atos públicos. Durante o período, houve especulação sobre o estado de saúde do líder e, inclusive, foi noticiada a morte dele.

No sábado, foi noticiada a presença do norte-coreano e de outros integrantes do alto escalão do regime, em uma cerimônia realizada um dia antes, para celebrar o término da construção de uma fábrica de fertilizantes em Sunchon, a 50 quilômetros de Pyongyang.

Imagens divulgadas pelos meios de comunicação e propaganda da Coreia do Norte mostraram o líder se movendo, aparentemente, sem qualquer dificuldade e cortando a faixa inaugural das instalações.

O próprio governo da Coreia do Sul, durante as especulações sobre o estado de saúde de Kim Jong-un, indicaram que a inteligência do país não viu nenhum sinal de anormalidade no vizinho e desmentiu informações sobre a morte do líder.