Internacional Coreia do Sul pede que Irã libere petroleiro apreendido

Coreia do Sul pede que Irã libere petroleiro apreendido

Navio MT Hankuk Chemi foi confiscado por autoridades iranianas na segunda-feira (4) por causar "poluição ambiental e química"

Resumindo a Notícia

  • Embarcação foi apreendida no Golfo Pérsico e levada para o porto de Bandar Abas
  • Navio deixou o porto de Al Jubail, na Arábia Saudita, rumo aos Emirados Árabes Unidos
  • Autoridades foram informadas que a tripulação está segura
  • Chefe da empresa operadora do navio negou que a embarcação tenha poluído as águas do golfo
Embarcação transportava 7.200 toneladas de produtos químicos e petrolíferos

Embarcação transportava 7.200 toneladas de produtos químicos e petrolíferos

Reuters

O governo da Coreia do Sul pediu nesta terça-feira (5) ao Irã para que libere imediatamente um petroleiro de bandeira sul-coreana que foi apreendido na segunda-feira (4) pelas autoridades iranianas no Golfo Pérsico.

O navio MT Hankuk Chemi foi apreendido pela Força Marítima da Guarda Revolucionária Iraniana por causar "poluição ambiental e química" e levado para o porto de Bandar Abas, segundo a corporação.

O Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Sul e a embaixada do país no Irã "foram informados de que a tripulação está segura e solicitam a rápida liberação do navio", informou a pasta.

Seul também decidiu enviar sua unidade naval antipirataria Cheonghae ao local para atuar no caso em cooperação com a força marítima multinacional que opera em águas próximas.

O MT Hankuk Chemi transportava 7.200 toneladas de produtos químicos e petrolíferos e tem cerca de 20 tripulantes de países como a própria Coreia do Sul, Indonésia, Vietnã e Mianmar. O navio deixou o porto de Al Jubail, na Arábia Saudita, rumo aos Emirados Árabes Unidos.

A apreensão do navio de carga foi feita a mando do Departamento de Portos e Navegação e do Ministério Público Provincial de Hormozgan, cuja capital é Bandar Abas, de acordo com a Guarda Revolucionária.

Um chefe da empresa operadora do navio, DM Shipping, negou em declarações à agência sul-coreana de notícias "Yonhap" que o navio tenha poluído as águas do golfo e explicou que o capitão ativou o alarme antipirataria quando o navio foi retido sem receber explicações das autoridades iranianas.

Últimas