Coronavírus

Internacional Coreia do Sul tem recorde de casos de covid e aumenta restrições

Coreia do Sul tem recorde de casos de covid e aumenta restrições

Aulas serão online, baladas ficarão fechadas e estádios não poderão ter público, decidiram autoridades locais

Agência EFE
Coreia do Sul aumenta medidas de restrição após aumento de casos

Coreia do Sul aumenta medidas de restrição após aumento de casos

Heo Ran/Reuters - 9.7.2021

A Coreia do Sul registrou nesta quinta-feira um novo recorde nacional diário de casos de covid-19, com 1.316, o que levou o governo a aprovar o mais alto nível de restrições para Seul e seus arredores, onde 80% do contágio está concentrado.

Além de representar o número máximo de infecções em um único dia para o país asiático desde que a pandemia começou, os dados divulgados nesta sexta também marcam a primeira vez que a Coreia do Sul soma mais de 1,2 mil infecções por dia durante três dias consecutivos.

Diante desses números, o primeiro-ministro sul-coreano, Kim Boo-kyum, presidiu hoje uma reunião interministerial na qual foi decidido implementar o nível máximo de restrições, de grau 4, na região da capital por duas semanas. A medida passará a valer na próxima segunda-feira.

Sob o nível 4, serão permitidas reuniões de até quatro pessoas, uma medida que está em vigor na região desde dezembro. Contudo, mas a partir das 18h esse número cairá para duas pessoas.

Já funerais e casamentos só poderão ser assistidos por integrantes da família, as manifestações populares estão proibidas, estádios esportivos não poderão ter público, boates ser mantidas fechadas, e as aulas nas escolas e universidades devem ser inteiramente online. Os bares e restaurantes ainda poderão funcionar até as 22h, como já acontece.

O recente aumento das infecções na Coreia do Sul parece ser devido a um aumento na circulação da variante delta do vírus, que é mais contagiosa, e está afetando principalmente as pessoas de entre 20 e 39 anos, um grupo que ainda não teve acesso a vacinas.

A Coreia do Sul é um dos países que melhor gerenciou a pandemia até agora, com apenas cerca de 164 mil casos e 2 mil mortes por covid-19, e até agora não teve que recorrer a confinamentos mais rigorosos na maior parte de seu território ou ao fechamento de suas fronteiras.

Entretanto, enfrenta o problema do fornecimento global de vacinas, o que significa que até agora apenas 15,47 milhões de pessoas (30,2% da população) receberam pelo menos uma dose e 5,57 milhões (11%) completaram o processo de imunização.

Últimas