Coreias selam acordo para retomar encontros entre famílias separadas

As Coreias do Sul e do Norte chegaram a um acordo histórico nesta sexta-feira para retomar os encontros entre as famílias separadas pela Guerra da Coreia (1950-1953), suspensos desde 2010 devido à tensão entre os dois países.

Os primeiros encontros entre as famílias acontecerão em 25 e 30 de setembro no monte Kumgang, situado em território norte-coreano e onde ambos os países compartilham um projeto turístico conjunto paralisado desde 2008.

Segundo o Ministério sul-coreano de Unificação, neste primeiro encontro participarão até 100 famílias de cada um dos dois países, que estão em estado técnico de guerra porque a Guerra da Coreia terminou com um cessar-fogo e não um tratado de paz.

"As duas partes chegaram a um acordo, além disso, sobre a necessidade de realizar outro encontro entre famílias em novembro", detalhou o porta-voz da Unificação, Kim Hyung-souk, em declarações divulgadas pela agência "Yonhap".

O acordo aconteceu após apenas um dia de reuniões, depois que hoje os dois países enviaram emissários à fronteiriça "Aldeia da Trégua" de Panmunjom com o objetivo de retomar este intercâmbio, bloqueado desde o final de 2010 por conta da piora das relações entre os dois países.

Para a Coreia do Sul, era prioridade poder retomar esses encontros, muito solicitados por cerca de 73 mil sul-coreanos com parentes no Norte, dos quais, além disso, 80% superam os 70 anos, segundo dados facilitados pela agência sul-coreana.

Enquanto isso, ainda falta saber quando as duas partes se reunirão para tentar resolver outro de seus assuntos pendentes como é o do projeto do Monte Kumgang, um complexo turístico dotado de hotéis, restaurantes, um campo de golfe e outras instalações do Sul, que permanece fechado desde a morte de uma turista sul-coreana em 2008 por disparos de um militar do Norte.

Apesar de Seul ter proposto 25 de setembro como data para realizar uma primeira aproximação em, Pyongyang mostrou sua preferência por acelerar as negociações e chegar a um acordo antes da primeira semana do próximo mês.

Ambos os gestos acontecem depois que na semana passada as duas Coreias acordaram, após sete rodadas de negociações, a histórica reabertura do polígono industrial conjunto de Kaesong, fechado por mais de quatro meses. EFE co-jpf/ff/tr