Coronavírus: Bolívia entra em quarentena total e adia eleições

Com 19 casos já confirmados, o governo interino anunciou quarentena para todo o país por duas semanas, além de adiar a eleição presidencial

Pessoas compram comida em La Paz antes da quarentena nacional

Pessoas compram comida em La Paz antes da quarentena nacional

Martín Alipaz / EFE - 21.3.2020

A Bolívia entrará em quarentena total neste domingo (22), em mais uma medida para combater o novo coronavírus, anunciada neste sábado (21) pela presidente interina do país, Jeanine Áñez. Entre as medidas, ela divulgou que a eleição presidencial, que aconteceria em 3 de maio, será adiada.

"Uma decisão difícil, mas necessária. A partir deste domingo, à meia-noite (local, 1h de Brasília), durante 14 dias, a quarentena total estará em vigor em todo o país", declarou Áñez em um pronunciamento televisivo à nação, que tem 19 casos confirmados de pessoas infectadas.

Saiba como se proteger e tire suas dúvidas sobre o novo coronavírus

Após reunião extraordinária do seu gabinete em La Paz, a presidente interina garantiu que não haverá problemas de abastecimento e que uma pessoa por família poderá sair para comprar nos mercados, que estarão abertos até o meio-dia. Áñez esclareceu que os centros de produção, farmácias, hospitais e centros de saúde estarão abertos normalmente e em alerta.

"Peço-lhes que se mantenham calmos e recolhidos, porque o nosso primeiro inimigo é o vírus, mas o segundo é o pânico, e vamos deter ambos com unidade e serenidade", declarou a chefe de Estado.

Outras medidas contra a covid-19

A presidente disse que nova ajuda econômica será colocada em prática e que o bônus familiar que ela anunciou na semana passada para as crianças da escola pública primária será estendido para as do ciclo inicial.

O bônus consiste no pagamento em abril do equivalente a R$ 362 por aluno, como medida para ajudar as famílias mais necessitadas, que sentem o impacto da quarentena.

Diversas autoridades municipais, diretores de hospitais e políticos exigiram nesta sexta-feira que o governo interino providenciasse a quarentena total. Na última quarta-feira, havia sido estabelecido que bolivianos e residentes ficassem em casa das 17h às 5h, o que eles consideram insuficiente.

Alguns moradores de El Alto, cidade vizinha de La Paz, ignoraram a medida, fizeram fogueiras nas ruas à noite e jogaram pedras em patrulhas policiais que os observavam. Pelo menos 21 pessoas foram presas devido aos incidentes.