Coronavírus deixou 290 milhões de estudantes sem aula, diz Unesco

Medidas para evitar propagação da epidemia de covid-19 levou a número 'sem precedentes' de crianças e jovens fora da escola

Ônibus escolares vazios no Tibet: 13 países decretaram suspensão de aulas

Ônibus escolares vazios no Tibet: 13 países decretaram suspensão de aulas

Sanjay Baid / EFE-EPA - 4.3.2020

O fechamento de escolas em 13 países para deter a propagação do novo coronavírus levou ao cancelamento de aulas de 290,5 milhões de crianças e jovens em todo o mundo, um número sem precedentes, segundo informações divulgadas pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) nesta quarta-feira (4).

Nas últimas duas semanas, 13 países ordenaram o fechamento de escolas, e outros nove impuseram medidas semelhantes localmente para evitar a propagação da Covid-19, segundo comunicado emitido pela organização.

Caso esses nove países com restrições locais optarem por generalizar o encerramento de escolas a nível nacional, outros 180 milhões de menores ficarão sem acesso à educação. Há apenas 15 dias, a China foi o primeiro país a ter fechado as suas escolas por causa da epidemia.

Reunião de emergência sobre coronavírus na Unesco

A Unesco convocou uma reunião de emergência dos ministros da Educação para 19 de março para reunir as várias estratégias nacionais para manter a educação. O encontro será feito através de videoconferência, como disseram fontes da entidade à Agência Efe.

"Estamos trabalhando com alguns países para garantir a continuidade da aprendizagem para todos, especialmente para crianças e jovens desfavorecidos, que muitas vezes são os mais atingidos pelo fechamento de escolas", declarou a diretora-geral da Unesco, Audrey Azoulay, na nota.

"A escala global e a velocidade da atual interrupção educacional é inigualável e, se prolongada, pode ameaçar o direito à educação", acrescentou Azoulay, que é ex-ministra da Cultura da França.

Redução do tempo de aprendizagem

A Unesco salienta que o fechamento das escolas, mesmo quando temporário, é problemático por muitas razões, pois leva a uma redução do tempo de aprendizagem e pode ter outras repercussões, como efeitos nocivos sobre as famílias e sobre o trabalho dos pais.

A organização sublinha que apoia a implementação de programas e plataformas de educação à distância em larga escala que permitem aos estudantes e professores se conectarem de dentro de casa.