Coronavírus: diretora de escola no México é impedida de trabalhar

A proibição partiu dos familiares dos alunos, que cobram quarentena para a diretora e seu filho que voltou de uma viagem à China recentemente

Diretora de escola impedida de trabalhar

É apontada a necessidade de evitar locais muito populosos e utilizar máscaras

É apontada a necessidade de evitar locais muito populosos e utilizar máscaras

Taba Benedicto/Estadão Conteúdo

A diretora de uma escola cujo filho viajou recentemente à China foi impedida de voltar ao trabalho no município de Zacatepec, no México, pelo temor dos pais dos alunos de um contágio pelo novo coronavírus surgido no país asiático.

A proibição partiu dos familiares dos estudantes, que cobram que a diretoria, Patricia Coria, e o filho dela sejam mantidos em quarentena. A supervisora escolar da região, María Guadalupe Molina Arenas, atendeu ao pedido dos pais e explicou que a servidora ficará afastada do trabalho por vários dias.

Além disso, Molina Arenas explicou que o filho da diretora, que é estudante de medicina, passou por vários exames e avaliações quando voltou da China para o México.

"O centro epidemiológico fez várias recomendações para todas as pessoas que estiveram na China. Entre as informações, é apontada a necessidade de evitar locais muito populosos e utilizar máscaras, entre outras medidas de segurança e higiene", disse a supervisora.

Molina Arenas afirmou que a diretora da escola de Zacatepec não precisa se submeter a este controle, mas que aceitará voluntariamente se sujeitar as medidas, pelo bem-estar das crianças da instituição que lidera.

Sem casos no México

Hoje, a secretaria de Saúde do México divulgou que foi descartado o décimo caso de suspeita de coronavírus, após a avaliação de um homem de 54 anos, morador da cidade de Tlajomulco de Zúñiga, que vivia em Wuhan.

Leia mais: México diz não ter casos de coronavírus no país

Segundo a imprensa local, uma pessoa de origem chinesa foi isolada nas últimas horas dentro de um complexo industrial na fronteiriça Ciudad Juarez, no norte do país, diante do temor de que pudesse estar contaminado pelo coronavírus.

A epidemia chamada pneumonia de Wuhan já deixou 425 mortos na China continental, duas nas Filipinas e Hong Kong, além de mais de 20 mil infectados.