Coronavírus: Grupo de resgatados da China é atacado na Ucrânia

72 pessoas de várias nacionalidades estavam a caminho do centro onde ficarão em quarentena em Novi Sanzhary; houve confronto com a polícia

Grupo de resgatados da China é atacado na Ucrânia

Grupo deixou Hubei, epicentro do surto de Covid-19

Grupo deixou Hubei, epicentro do surto de Covid-19

Instagram @julia_volok via Reuters - 20.2.2020

Dezenas de ucranianos atacaram os ônibus que faziam o traslado de um grupo de pessoas de várias nacionalidades retiradas da China por conta da epidemia do novo coronavírus e que estavam a caminho do centro onde ficarão em quarentena na cidade de Novi Sanzhary, no leste da Ucrânia.

O protesto foi convocado para tentar impedir o desembarque das 72 pessoas retiradas da província de Hubei, epicentro do surto de Covid-19. Entre elas, estão 45 cidadãos ucranianos e outras 27 de diferentes países, incluindo Argentina, Equador, Costa Rica e República Dominicana.

Guerra de informações

Os manifestantes queimaram pneus para tentar impedir a passagem dos ônibus e jogaram pedras contra os veículos. A polícia interviu e houve confrontos. Segundo informações oficiais, 24 pessoas foram detidas.

A tentativa de impedir o desembarque do grupo de retirados da área afetada pelo coronavírus na China foi justificada pelo medo de que a doença se espalhe na região.

O primeiro-ministro da Ucrânia, Oleksiy Honcharuk, culpou a "guerra informacional" promovida no país por espalhar pânico e desconfiança.

EM VÍDEO: Ucrânia tem protestos em chegada de avião da China para quarentena

_