Covid-19: Líderes da União Europeia confirmam fronteiras fechadas

Decisão foi tomada por meio de uma videoconferência, aprovando medidas anunciadas ontem pela Comissão Europeia

Estação de trem vazia em Berlim: União Europeia fecha fronteiras externas por covid-19

Estação de trem vazia em Berlim: União Europeia fecha fronteiras externas por covid-19

REUTERS/Annegret Hilse

Os líderes da UE (União Européia) endossaram, nesta terça-feira (17), a proposta da Comissão Européia (CE) de fechar as fronteiras externas da comunidade por 30 dias, com algumas exceções, para interromper a disseminação do coronavírus e fazer frente à pandemia.

A decisão foi tomada por meio de uma videoconferência e foi comunicda pelo presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, que os chefes de estado e de governo da comunidade foram favoráveir à proposta apresentada pela Comissão Europeia na segunda-feira.

Nova reunião entre os líderes dos países do bloco europeu será realizada na próxima semana para avaliar a crise causada pela covid-19.

- Tire todas as suas dúvidas sobre o coronavírus no especial do R7 -

A Europa se tornou o epicentro da crise, que começou em Wuhan, na China, depois que o país asiático conseguiu controlar o número de novos contágios. O continente europeu viu o número de casos explodir na Itália e na Espanha, além de ter crescimentos sustentados na França, Alemanha, Reino Unido e vários outros países.

Como ficarão as fronteiras europeias

Todas as fronteiras externas da União Europeia, ou seja, com países que não fazem parte do bloco europeu, deverão ser fechadas para o trânsito de estrangeiros de imediato. Apenas cidadãos europeus ou estrangeiros residentes poderão retornar ao continente.

Funcionários da área da saúde e cientistas que estão trabalhando pela vacina contra o coronavírus também poderão entrar no território europeu.

Internamente, além das regras estabelecidas por cada governo, pessoas que viajam entre países da União Europeia a trabalho seguirão regras especiais.

Por ter deixado a União Europeia em 31 de janeiro, o Reino Unido terá um tratamento diferenciado por algum tempo. Viagens serão permitidas até a implementação total do plano de contingência.

A circulação de bens e produtos obecederá regras mais frouxas.