Coronavírus

Internacional Covid: Economia da UE cai 6,4% e 6,8% em zona do euro em 2020

Covid: Economia da UE cai 6,4% e 6,8% em zona do euro em 2020

Quarentenas e restrições afetaram diretamente economia e recessão marca fim dos 7 anos de crescimento nas duas regiões

  • Internacional | Da EFE

Economia na Europa e zona do euro caem durante pandemia

Economia na Europa e zona do euro caem durante pandemia

Pixabay

O produto interno bruto (PIB) despencou 6,4% na União Europeia (UE) e 6,8% na zona do euro em 2020 como resultado da pandemia do coronavírus, pondo fim aos sete anos de crescimento em ambas as áreas. De acordo com dados preliminares publicados nesta terça-feira (2) pela Eurostat.

No último trimestre de 2020, o PIB caiu 0,5% nos vinte e sete países membros do bloco e 0,7% na área do euro em relação aos três meses anteriores.

Em comparação com o quarto trimestre de 2019, a queda foi de 4,8% e 5,1%, respectivamente, de acordo com dados do serviço de estatística da comunidade.

O surto de coronavírus e as restrições impostas para contê-lo desde março causaram uma queda recorde do PIB no segundo trimestre, de 11,4% na UE e 11,7% na zona do euro.

Entre julho e setembro, o fim dos confinamentos e o relaxamento parcial das restrições no continente levaram a uma forte recuperação do PIB -11,5% e 12,4%, respectivamente-, que logo foi interrompida pela segunda onda de covid-19.

Assim, a economia europeia voltou a cair no último trimestre do ano, de acordo com dados preliminares do Eurostat.

O colapso de 6,4% na UE e de 6,8% na área do euro no conjunto de 2020 é superior ao sofrido em 2009, o pior ano da crise financeira em que a economia se contraiu 4,3% e 4,4%, respectivamente.

Bruxelas apresentará novas previsões para a economia europeia nos próximos dias.

Embora o Eurostat ainda não tenha publicado dados sobre a evolução anual do PIB por país, as grandes economias da área do euro já anunciaram quedas históricas em 2020, embora o último trimestre tenha sido melhor do que o esperado em alguns casos.

Queda nos principais países do bloco

Na Espanha, o PIB contraiu 11% no ano passado, a maior queda anual da série estatística que encerra seis anos de crescimento econômico, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística.

No entanto, a queda foi dois décimos menor que a previsão do governo e entre outubro e dezembro, o PIB conseguiu continuar crescendo apesar da segunda onda da pandemia, em 0,4%, ante projeções que previam uma recaída.

A economia francesa, por sua vez, registrou um declínio de 8,3% em 2020, sem precedentes desde a Segunda Guerra Mundial, mas menor do que o esperado inicialmente pelo Instituto Nacional Francês de Estatística (Insee) e pelo Governo francês.

No quarto trimestre, a contração foi de 1,3%, longe das previsões que a colocavam em torno de 4%.

A Itália registrou queda de 2% no PIB entre outubro e dezembro e de 8,8% em todo o ano de 2020, um pouco menos que a queda de 9% esperada pelo governo, informou o Instituto Nacional de Estatística (Istat) na terça-feira.

Na Alemanha, principal economia da área do euro, o PIB caiu 5% no ano como um todo, após avançar apenas 0,1% em um quarto trimestre marcado pelo agravamento da pandemia no país, segundo o Federal Statistical Office Germanic ( Destatis).

Os dados preliminares do PIB do Eurostat baseiam-se em informações incompletas e estão sujeitos a revisão, recordou a agência de estatística.

Últimas