Coronavírus

Internacional Cuba conclui ensaios clínicos de candidata a vacina contra covid-19

Cuba conclui ensaios clínicos de candidata a vacina contra covid-19

Estudo, com aplicação de duas doses por via intramuscular, contou com 48 mil voluntários em três cidades do país

  • Internacional | Da EFE

Candidata a vacina cubana se chama Abdala

Candidata a vacina cubana se chama Abdala

Yander Zamora/EFE

A candidata a vacina Abdala, uma das cinco desenvolvidas por Cuba contra a covid-19, se tornou neste sábado (1º) a primeira a concluir a terceira e última fase dos ensaios clínicos, iniciados em março.

O estudo, com aplicação de duas doses por via intramuscular, contou com 48 mil voluntários das capitais das províncias de Santiago de Cuba, Guantánamo e Granma.

Pesquisadores do Centro de Engenharia Genética e Biotecnologia (Cigb, encarregado de desenvolver Abdala) afirmaram recentemente à imprensa estatal que, uma vez concluída esta etapa, começa a ser avaliada a aparição de casos positivos do coronavírus Sars-CoV-2, causador da covid-19.

A pesquisadora Verena Muzio, do Cigb, detalhou que isso permitirá comparar as proporções entre o grupo vacinado e o inoculado com placebo, e assim analisar a eficácia.

O centro também está a cargo da candidata por via intranasal Mambisa, enquanto Soberana 01, Soberana 02 e Soberana PLUS estão sendo desenvolvidas pelo Instituto Finlay de Vacinas.

A ação do imunizante se baseia na formulação da proteína RBD recombinante adjuvada com hidróxido de alumínio. Na segunda parte dos ensaios - realizada em Santiago - participaram quase 760 voluntários com idades entre 19 e 80 anos. Até o momento, não foi informado o número de voluntários da terceira fase.

Cuba, que contabiliza 107.622 casos e 654 mortes, sofre com uma terceira onda de infecção desde janeiro, com dez das suas 15 províncias e o município especial de Isla de la Juventud na fase epidêmica.

O governo cubano não adquiriu vacinas no mercado internacional, nem faz parte do consórcio Covax, criado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para promover o acesso equitativo à imunização em países de baixa e média renda.

Últimas